A confusão generalizada e as brigas que ocorreram na torcida do Coritiba no clássico contra o Paraná Clube, no último sábado (5), na Vila Capanema, resultaram nas prisões de quatro torcedores. Segundo o delegado titular da Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe), Clóvis Galvão, os quatro acusados foram presos e vão responder os Termos Circunstanciados em liberdade.

“Foram feitos dois termos circunstanciados por desacato e dois por provocação de tumulto. Eles foram julgados e liberados em seguida”, contou Galvão, em entrevista à Tribuna do Paraná. A torcida organizada Império Alviverde se pronunciou através de uma nota oficial sobre as brigas ocorridas no clássico Paratiba. A facção pediu desculpas pelo episódio, afirmou que esse tipo de acontecimento não pode mais ocorrer e também criticou a postura da Polícia Militar durante a sua ação para conter os brigões.

+ Leia mais: Athletico lidera ranking de acessos nas redes sociais entre os clubes do Trio de Ferro

“Na medida do possível todas as situações estavam sendo e seriam controladas internamente, até o momento da intervenção da PM, em que agiu de maneira extremamente truculenta e desnecessária como sempre. Sem a mínima necessidade, após a primeira intervenção, continuou a desferir golpes em qualquer torcedor que estivesse ao seu redor, qualquer. Gás de pimenta, fumaça de efeito moral e um absurdo abuso de autoridade. Diversos torcedores feridos e inclusive hospitalizados, graves lesões, braço quebrado, mulheres e crianças passando mal, inclusive, forte agressão contra uma criança de 12 anos! Uma ação totalmente desproporcional”, diz um trecho da nota.

Uma das causas da briga seria o protesto de alguns torcedores diante do futebol apresentado pelo Coritiba no clássico. O Paraná já vencia por 2×0, quando uma parte da torcida passou a manifestar sua insatisfação. Membros da Império Alviverde, então, não teriam gostado e a confusão teria começado. Isso também foi negado na nota, que garante que a organizada está insatisfeita com a atual gestão do clube.

+ Confira a classificação da Série B

“Aproveitamos para reforçar nossa total insatisfação com os gestores do nosso Coritiba, principalmente, as figuras de presidente e diretor de futebol, Samir e Pastana, respectivamente. Os péssimos resultados em campo, a total falta de comprometimento notável por parte de diversos atletas somados a tantos outros erros, infelizmente refletem nas arquibancadas”, concluiu a nota.

O árbitro da partida, Lucas Paulo Torezin, não explicitou os fatos ocorridos na torcida do Coritiba. Somente relatou que o jogo foi paralisado por falta de ambulância, que precisou deixar a Vila Capanema para atendimento de um torcedor. Assim, são poucas as chances de o Coxa ser denunciado pelo STJD para sofrer uma possível punição.

Leia mais:

+ Goleiro Santos rouba a cena em treino da seleção
+ Coxa encara o Guarani querendo dar um chega pra lá na crise
+ Paraná quer embalar contra o Operário