O Coritiba pagou caro pelo recuo nos momentos finais, cedeu o empate ao esforçado time do Arapongas e entregou a liderança do Campeonato Paranaense de bandeja ao Cianorte.

Numa partida marcada por um futebol abaixo da crítica graças ao péssimo gramado do estádio José Chiapin, o Coxa teve a vitória nas mãos graças a um golaço de Bill, mas uma pane geral na defesa no penúltimo minuto de partida pôs tudo a perder.

Com o 1 a 1, a equipe do Alto da Glória se obriga a vencer os próximos jogos para continuar na briga pelo turno. Na quinta-feira, a parada é contra o Iraty no Couto Pereira.

Se a diretoria do Arapongas moveu mundos para deixar o estádio dos Pássaros em ordem e até conseguiu mesmo dar boas condições nos vestiários e arquibancada, esqueceu do gramado.

Não bastasse a falta de grama em alguns pontos, compensada com tinta verde, o time local deixou ervas daninhas crescerem demais e não aparou o piso, que precisava estar melhor para a realização de um bom espetáculo. O que se viu na maior parte do tempo foi um festival de chutões, poucos toques de bola e quase nada de futebol. Por isso, a disposição prevaleceu.

A indignação do Coritiba foi tanta que o presidente Jair Cirino dos Santos ao ver o local da partida ligou para Reginaldo Cordeiro, chefe da comissão de vistoria da Federação Paranaense de Futebol.

Para o dirigente, poderiam ter marcado o confronto para outro local. Mas não teve jeito e as equipes tiveram que encarar o piso irregular. Ruim para os torcedores que foram ao estádio.

No primeiro tempo, nenhuma bola foi no gol e os chutes passaram apenas próximos. Pior para Leonardo, que sentiu o braço formigar numa queda e foi fazer exames num hospital local.

No segundo tempo, a impressão melhorou porque o Arapongas voltou mais empolgado. No entanto, quem mexeu no placar foi o Coritiba. Bill recebeu no meio-de-campo, deixou a marcação para trás, avançou e arriscou do meio da rua.

Um golaço! Aparecia o futebol do líder. No entanto, Lio começou a mexer e pôs o Arapongão no ataque enquanto Marcelo Oliveira foi fechando a equipe. Na pressão, o time da casa foi com tudo.Edson Bastos se desdobrou para segurar o ataque adversário, mas quando a bola sobrou para Luciano não conseguiu evitar o empate e a festa nas arquibancadas.