Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima. O trecho de um famoso samba brasileiro indica o que o Coritiba precisa fazer a partir de agora, segundo o técnico Umberto Louzer. O começo de ano não foi como se imaginava. A perda do título do segundo turno para o Athletico, nas penalidades, na Arena da Baixada, foi o terceiro golpe duro que o Coxa levou nesta temporada.

+ Leia mais: Inter está devendo grana pro Coxa de negociação de Guilherme Parede

A fase ruim e de instabilidade parece que nunca vai passar e traz um peso maior para o time, mas, a partir do dia 29 deste mês, quando começa a Série B do Campeonato Brasileiro, qualquer resquício do que passou terá que ser deixado de lado para o Verdão lutar pelo acesso à primeira divisão.

“O primeiro passo é erguê-los. Quando você tem um revés, você tem duas escolhas: ou você deprime ou você ergue a cabeça e sacode a poeira, como diz a música, e vai para frente. O Coritiba vem sofrendo ao longo dos anos e isso prejudica, traz um peso maior aos atletas. É ter sabedoria que estamos vestindo uma camisa pesada, que tem uma história muito bonita e temos que representar da melhor maneira e dar orgulho para o torcedor. Ao final do ano, espero olhar para trás e ver que todo esse processo valeu a pena”, afirmou o treinador.

+ Festa: Torcidas dão um toque a mais no Atletiba

O Coritiba, sob o seu comando, fez sete jogos neste segundo turno do Campeonato Paranaense. Na decisão diante do Athletico, a equipe jogou melhor que o adversário, saiu na frente e criou pelo menos três grandes chances de matar o jogo antes do empate do Furacão, aos 44 minutos do segundo tempo.

Não foi o que aconteceu e sobrou lamentação do lado alviverde do clássico, que viu de novo a chance de ser campeão estadual cair por terra dentro da Arena da Baixada. Mas o trabalho do treinador ainda está no começo. Louzer foi contratado para fazer do Coritiba uma protagonista e capaz de propor os jogos. O treinador, no entanto, conseguiu primeiro arrumar a defesa e a equipe alviverde hoje consegue ter atuações seguras e de pouco sofrimento defensivo. Mas é preciso melhorar e muito para a disputa da Segundona, que começa já no final deste mês.

+ Veja também: Na entrega do troféu de campeão, Furacão consolou Dirceu Krüger, ídolo do rival

“É um processo de construção e acredito que o alicerce está começando a ser estruturado. A intertemporada que vamos ter será importante. A Série B é um campeonato difícil e alguns outros nomes chegarão para encorpar nosso elenco. É complicado falar algo positivo depois de uma eliminação, mas é saber que o time está evoluindo e provamos isso. Estamos criando uma casca, maturidade e hoje (quarta-feira) foi mais um dia para aprender. Estamos crescendo e tenho certeza que, com a chegada de novos valores, vamos vir fortes para a Série B, que é o objetivo principal do clube na temporada”, reforçou o treinador.

+ Mais na Tribuna: De fora da final, Coxa quer levar aprendizado pra Série B

Até agora, os atacantes Arancibia e Lucas Tocantins já foram contratados. O técnico Umberto Louzer não quis falar quantos jogadores devem chegar nos próximos dias para reforçar o elenco que vai disputar a Segundona. O treinador garantiu, apenas, que serão contratações pontuais e que o clube vai priorizar qualidade em vez de quantidade.

+ Confira ainda12: Emoção toma conta da Arena e Furacão leva a melhor no fim

“Temos algumas lacunas que precisam ser preenchidas. Em cima disso temos conversado com o Rodrigo (Pastana) e os envolvidos no processo de contratação. O mercado está aquecido e temos que ser pontuais, dentro daquilo que a gente precisa para que tenha qualidade da maneira que a gente de ver o time jogando. Vamos buscar mais qualidade do que quantidade e aproveitar bastante esses 19 dias. Esperamos contar o mais rápido possível para que eles possam entrosar e, assim, conseguir o primeiro objetivo que é vencer a Ponte Preta”, concluiu o Louzer.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!