Há muito tempo que as sociais do Couto Pereira, principalmente, não se levantavam em peso para aplaudir um jogador na saída do gramado. No domingo, o atacante Ariel conseguiu fazer a exigente plateia alviverde bater palmas com entusiasmo e emocionar o próprio jogador. Merecidamente, por sinal.

O argentino marcou mais um golaço com a camisa coxa e mostrou a raça de sempre, que tanto agrada aos torcedores. E mais. O avante vai aos poucos acabando com a desconfiança em torno da técnica, já que veio do pouco conhecido Nueva Chicago, que disputava a dura Segundona argentina.

“Futebol argentino é diferente, ele está se corrigindo agora porque lá é pauleira. Às vezes cai, paulada após paulada e o René (Simões, técnico) tem tirado esse defeito dele”, analisa Eduardo Francisco Dreyer, ex-jogador do Coritiba, conterrâneo e assessor de Ariel no Brasil.

Segundo ele, o atacante demorou um pouco a se adaptar ao futebol brasileiro e ainda paga por isso. “Ele necessita de carinho, amor, esse tipo de coisa o jogador precisa e o René tem dado. Falta pouco para ele. É um jogador mais tardio que os outros, mas vai adquirindo confiança”, aponta.

Para ele, o treinador tem grande mérito na evolução do atacante, ao contrário dos predecessores, que não teriam dado muita atenção ao jogador. Agora, com René, a situação mudou e Ariel cada vez mais encanta a galera.

“A torcida adora ele e o Coritiba vai ganhar muito dinheiro com ele”, aponta Dreyer. E quem agradece a confiança é o próprio atacante. “Eu não fico surpreendido pela confiança que ele me dá, René é uma boa pessoa, é um bom treinador, está me dando essa confiança. Isso também influi bastante num atleta como eu. Ele também me faz trabalhar muito a técnica e isso eu trato de fazer no jogo”, destaca.

E trabalho Ariel garante que não vai faltar. “Eu sou de trabalhar muito, ficar após o treinamento fazendo aquilo que necessito. O jogo foi muito importante para mim, muito importante para a equipe e acho que para o técnico também”, promete. E a reação da galera?

“Foi lindo e não vou esquecer nunca”, finaliza o jogador. Ele tem contrato até junho do ano que vem, mas o clube garante ter um acordo para uma renovação automática. Outras equipes já demonstraram interesse no atleta, mas a direção, por enquanto, garante que não há nada oficial e ele fica no Alto da Glória.