Se Marquinhos for liberado das dores musculares, completará a dupla de armação com Vital, que volta ao time.

Vale a liderança. O Coritiba enfrenta o Cianorte às 19h, no Estádio Willie Davids, com duas obrigações: a primeira está na tabela, já que uma derrota pode fazer o adversário de hoje (ou a Adap) assumir a ponta do grupo A do campeonato paranaense; a segunda é interna, diz respeito aos jogadores e ao técnico Antônio Lopes – é obrigação vencer e jogar bem para esquecer a má atuação contra o Engenheiro Beltrão.

Claro que o Delegado não espera uma mudança da água para o vinho, nem uma atuação perfeita. Quando perguntado, ele responde citando o seu exemplo mais batido. "Isso eu não espero porque não existe perfeição no futebol. Eu trabalhei com o time mais espetacular dos últimos anos no futebol mundial, que foi a seleção brasileira pentacampeã. E nem ela tinha a capacidade de acertar sempre, mesmo tendo vencido todas as partidas da Copa do Mundo", relembra o treinador.

Mas, apesar da ressalva, ele espera um time bem mais eficiente em Maringá. "Precisamos melhorar bastante, acertar na marcação e evoluir na finalização. Nos trabalhos antes do jogo, a nossa preocupação foi fazer a equipe voltar a mostrar as virtudes que vinha apresentando nas rodadas anteriores", explica Lopes.

Para animar ainda mais o Delegado, ele contará hoje com a formação mais próxima da considerada ideal. Miranda e Reginaldo Vital, suspensos pelo terceiro cartão amarelo, estão de volta – e do time imaginado pelo técnico, só falta Flávio, que está se recuperando de uma lesão no joelho.

Apesar de não ter muitos problemas, Antônio Lopes resolveu fazer um certo mistério com a escalação. Marquinhos, com dores musculares, não treinou ontem e poderia ficar de fora – caso isto aconteça, Jackson será o titular. Mas o armador treinou também como atacante, com Marciano saindo do time, e o Coxa tendo uma escalação povoada de meio-campistas. Mesmo escondendo o jogo, é provável que o Delegado escale o time considerado titular.

De qualquer forma, será a primeira vez que ele utilizará o esquema de jogo com (pelo menos) três armadores e dois laterais ofensivos – Rafinha, que faz seu segundo jogo no paranaense, e Ricardinho. E o treinador alviverde sabe que o esquema só funcionará com motivação e consciência tática. "Para isso, temos que evoluir bastante em relação à partida de sábado. Aprendemos muito com o empate, e sabemos que agora não podemos mais falhar", diz Rafinha.

Ainda mais quando se relembra os problemas que o Cori teve no primeiro turno com o Cianorte – que além da boa campanha no paranaense vive a euforia de ter o Corinthians como adversário na Copa do Brasil. "Eles têm um time muito rápido, e que impõe muitas dificuldades", admite Lopes. "Se não nos cuidarmos, vamos passar por problemas sérios durante o jogo", completa o meia Reginaldo Vital.

CAMPEONATO PARANAENSE
1ª Fase – 2º Turno – 2ª Rodada
Em campo
Local: Willie Davids (Maringá)
Horário: 19h
Árbitro: Maurício Batista dos Santos
Assistentes: Aparecido Donizete Santana e Faustino Vicente Lopes

Coritiba x Cianorte

Coritiba
Fernando; Rafinha, Miranda, Alexandre e Ricardinho; Reginaldo Nascimento, Reginaldo Vital, Luís Carlos Capixaba e Marquinhos; Luís Carlos e Marciano. Técnico: Antônio Lopes

Cianorte
Adir; Daniel, Édson Santos, Diego e Maurício; Cuca, Macula, Rocha e Djames; Márcio Machado e Valdiran. Técnico: Caio Júnior

Coritiba se aproxima do torcedor maringaense

Com a volta do Coritiba a Maringá, a coordenação de comunicação do clube retomou o projeto de "aproximação" com a população da Cidade Canção e arredores. No final de semana (quando o Cori jogou em Engenheiro Beltrão) foram iniciadas as ações promocionais nas ruas, lojas, emissoras de rádio e em bares e restaurantes. No dia do jogo, a iniciativa será acelerada.

Terça, ‘promotores’ do Coxa já estiveram principalmente em bares de Maringá, distribuindo canetas, chaveiros, balas, adesivos, além de ingressos para os que provarem ter "coração alviverde" – ou seja, mostrarem de alguma forma que já viraram torcedores. Ontem, os locais de ‘agito’ foram os bares Cachaçaria Água Doce, Car Wash e Spetinho.

Hoje, as ações começam às 11h, com um ‘pedágio’ nas esquinas das avenidas Brasil e São Paulo. As crianças que lá passarem vão poder tirar fotos com o Vovô, o mascote do Coxa, e receberão balas e brindes do clube. Além disso, perto do horário do jogo, nas cercanias do Willie Davids, promotoras vão ‘convidar’ os torcedores a acompanharem Coritiba x Cianorte.

Nos treinos, a delegação alviverde faz um ‘tour’ pelas cidades vizinhas a Maringá. Nesta semana, os primeiros treinos aconteceram em Floriano, que fica a dez quilômetros do centro da Cidade Canção – antes, o elenco do Coxa trabalhou em Sarandi.

Desejo

O principal ponto das ações de marketing do Cori é aumentar a presença de público no Willie Davids. Na última partida disputada em Maringá, menos de mil pessoas pagaram ingressos (as empresas parceiras do clube na empreitada recebem entradas para distribuí-las a clientes e funcionários), número que decepcionou os dirigentes alviverdes.