SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – A possibilidade de perder, por lesão, Edinson Cavani para a partida contra a França nesta sexta-feira (6) leva preocupação à seleção uruguaia diante de um histórico de eliminações quando um de seus dois principais jogadores não esteve em campo nos últimos anos.

Sem Cavani ou Luis Suárez, o país acumulou resultados ruins em edições da Copa do Mundo e da Copa América, conforme evidenciou levantamento do jornal El Pais.

No Mundial de 2010, o Uruguai avançou para a semifinal, mas perdeu para a Holanda por 3 a 2 sem poder contar com Luis Suárez, expulso nas quartas de final contra a Gana ao colocar a mão na bola e evitar o gol dos africanos no fim da prorrogação.

Quatro anos depois, mais uma vez o atacante desfalcou os uruguaios em uma fase eliminatória da Copa. Punido pela Fifa por uma mordida no italiano Chiellini na primeira fase, Suárez ficou fora do jogo de oitavas de final vencido pelos colombianos por 2 a 0.

Na Copa América de 2015, a eliminação uruguaia ocorreu em derrota por 1 a 0 em uma partida de quartas de final em que Suárez não podia jogar por estar suspenso pelo ocorrido na Copa do Mundo no ano anterior. Cavani ainda foi expulso quando a partida estava empatada por 0 a 0.

Por último na Copa América de 2016, Suárez se lesionou antes do torneio e o Uruguai não passou da primeira fase. Perdeu para México e Venezuela e se despediu mesmo vencendo a Jamaica na última rodada.

A presença de Cavani dependerá de sua evolução até sexta quando às 11h (de Brasília) o Uruguai enfrentará a França. O jogador teve constatada um edema no músculo da panturrilha da perna esquerda durante a vitória por 2 a 1 sobre Portugal, mas sem ruptura de fibras musculares.