A Polícia Militar atuará em três frentes na tentativa de evitar e conter atos violentos antes e depois do Atletiba de hoje, no Couto Pereira, em Curitiba. Na prevenção nos terminais urbanos e zonas de conflito, na solicitação de denúncias por parte da população e no patrulhamento constante de outras áreas da cidade.

De acordo com o comandante de operações da PM na capital, coronel Jorge Costa Filho, pela manhã haverá uma ação integrada entre Polícia Militar e Guarda Municipal. Terminais e outros pontos estratégicos devem receber uma visita dos policiais, como a intenção de manter a ordem e evitar brigas pré-marcadas entre comandos de torcidas organizadas.

A partir do meio-dia será feito um bloqueio na região de entorno do Estádio Couto Pereira, onde será repetido o esquema policial da Operação Atletiba do 1.º turno. “Se ficar perambulando com o “tubão”, irá perdê-lo logo na entrada. Quem estiver com tom de embriaguez será submetido ao bafômetro. Sem ingresso ou com camisa de torcida organizada também não passa”, disse o coronel Jorge Costa Filho, sobre algumas imposições da PM para evitar a presença de transtornados e criar uma área de paz.

Um helicóptero também será usado pela segurança pública para monitorar possíveis confrontos entre torcidas e alertar a polícia. Ainda assim, o coronel Costa Filho pede apoio da população.”Quem ver uma cena de violência, tente registrar, denuncie, faça sua parte. Precisamos colocar a sociedade do bem contra os torcedores do mal”, sentenciou.

Detenção temporária

Apesar do comandante de operações da PM na capital, coronel Jorge Costa Filho, não falar em números, alguns torcedores identificados em brigas em outros jogos devem ficar temporariamente detidos no Regimento de Cavalaria Montada do Tarumã. A intenção é fazer com que essas pessoas cumpram penas alternativas, recebam aulas sobre cidadania e possam finalmente se adaptar aos bons modos da sociedade.