A noite do último domingo foi duplamente especial para o Botafogo. Além de homenagear Zagallo pelos 80 anos de vida do lendário ex-jogador e técnico, o time goleou o Vasco por 4 a 0, no Engenhão, e encostou no G-4 da tabela do Campeonato Brasileiro. A grande atuação foi exaltada pelo técnico Caio Júnior, que viu sua equipe abrir 3 a 0 logo na etapa inicial do confronto.

“Estou no futebol há algum tempo, lembro jogos em que minha equipe foi bem, mas esse primeiro tempo foi inesquecível. Não apenas pelo 3 a 0 no Vasco, mas pela forma como a equipe atuou. Ontem (domingo), estava em dúvida, estudei, vi e revi vídeos, antes de definir uma estratégia de jogo. Você ver que aquilo que pensou com tanto carinho e preocupação dar certo é gratificante. O que cobrei era o cumprimento da função na parte tática, o que falta ao futebol brasileiro. Meu período fora do Brasil me deu essa experiência. Sempre sonhei com posse de bola, virada de jogo e atuar pelos lado, foi o que vi”, enfatizou o comandante.

Caio Júnior fez questão também de dedicar o triunfo botafoguense a Zagallo, que deu o pontapé inicial ao clássico do último domingo. “Antes de qualquer pergunta, gostaria de dedicar essa vitória ao professor Zagallo. Não apenas por ter história no Botafogo, mas também por ser exemplo de profissional e de dedicação ao Brasil. Fiz questão de cumprimentá-lo. E ter recebido elogio dele na parte tática é uma realização na minha vida”, reforçou o comandante, em entrevista coletiva.

Já ao falar sobre o atacante Loco Abreu, autor de dois dos quatro gols do Botafogo no clássico, o treinador projetou a continuidade da boa fase do uruguaio. “Loco vai fazer muitos gols. Essa sintonia é muito importante. Me sinto contente com jogador que participa e dá opinião. Mas minha arma é o argumento. É um matador, o jogador do último toque. E tem um detalhe bem especial: enxerga o lance final para dar um passe ou fazer o gol”, reforçou.

“PÉ-QUENTE” – Zagallo, por sua vez, não deixou de mostrar o habitual bom humor na entrevista que concedeu após o confronto do último domingo e destacou que trouxe sorte ao Botafogo. “É uma satisfação grande estar aqui. Tenho certeza de que pé-frio não sou (risos). Vim aqui, dei o passe e o Abreu fez dois. Tenho um busto em Maceió, terra onde nasci, um em Caxias e um no Maracanã. Agora, o presidente Mauricio Assumpção me fez uma surpresa muito grande. Chega de busto, terei uma estátua, estou completo (risos)! O Botafogo sempre promove boas ideias, tenho que parabenizar o presidente por tudo que tem feito”, disse o bicampeão do mundo como jogador em 1958 e 1962 e campeão mundial como treinador em 1970 e como auxiliar-técnico em 1994, se referindo ao fato de que receberá nova homenagem do clube carioca.

“O Botafogo hoje (domingo) faz uma homenagem ao nosso querido Mário Jorge Lobo Zagallo, nosso camisa 13, vitorioso, campeão como técnico e jogador, campeão na seleção brasileira por todo o mundo. Em homenagem aos 80 anos, convidamos para dar pontapé inicial e ouvir que será a próxima estátua na entrada oeste do estádio (Engenhão), ao lado de Nilton Santos, Garrincha e Jairzinho”, disse Mauricio Assumpção, antes de passar a palavra a Zagallo.