O Brasil encerrou a natação dos Jogos Pan-Americanos, nesta sexta-feira, com a sua 10.ª medalha dourada. O último ouro veio no revezamento 4×100 metros medley masculino, prova vencida pela equipe brasileira com o tempo de 3min34s58, deixando para trás EUA (prata) e Argentina (bronze).

Nadaram pelo Brasil Guilherme Guido, Felipe França, Gabriel Mangabeira e Cesar Cielo. Só o nadador que abriu o revezamento com o nado de costas não foi o mais rápido da piscina, entregando para o nado peito na segunda colocação. Felipe França colocou o Brasil à frente e os demais só ampliaram a vantagem sobre o time dos EUA. Cesar Cielo fechou a festa brasileira em Guadalajara.

Como Thiago Pereira nadou as eliminatórias – cansado depois da final dos 200 metros costas, ele foi substituído por Guido -, ele também recebe uma medalha de ouro, chegando à sua sexta no Pan de Guadalajara e a 12 na sua coleção, agora a maior de um atleta brasileiro.

No revezamento 4x100m medley feminino, o Brasil decepcionou e ficou apenas com a medalha de bronze, atrás não apenas das vencedoras norte-americanas, mas também do Canadá, que foi ao Pan com uma equipe de segunda linha, a ponto de só uma atleta ter conquistado medalhas nas provas individuais.

Composto por Fabiana Molina, Tatiane Sakemi, Daynara de Paula e Tatiana Lemos, o revezamento brasileiro fechou a prova em 4min07s12, muito acima dos 3min44s62 atingidos no Mundial de Xangai, em julho. A equipe norte-americana bateu o recorde da competição com o tempo de 4min01s00. O Canadá fez 4min07s04 para ficar com a prata.

CRESCIMENTO – O Brasil encerra a natação do Pan com 24 medalhas, sendo 10 de ouro, oito de prata e seis de bronze, desempenho melhor do que o obtido no Rio, quando o País também somou 24 medalhas, mas com menos pratas: 10 ouros, seis pratas e oito bronzes. Tanto no México quanto no Brasil, o maior medalhista do País foi Thiago Pereira, com quatro ouros individuais e dois nos revezamentos. César Cielo também repetiu o desempenho do Rio, com vitórias nos 100 e nos 50 metros livre – ele fechou o Pan com quatro ouros no total.

Também faturaram ouro no México Leonardo de Deus, nos 200 metros borboleta, e Felipe França, nos 100 metros peito, além dos revezamentos 4x100m livre e 4x100m medley. No Rio, Kaio Márcio de Almeida venceu os 100m e os 200m borboleta – ele ficou sem medalhas em Guadalajara.

Entre as mulheres, o desempenho da natação brasileira melhorou na comparação com os Jogos do Rio. Há quatro anos, as nadadoras do Brasil somaram sete medalhas (duas pratas e cinco bronzes). Em Guadalajara, também foram sete, mas com cinco pratas e dois bronzes.