Nicholas Santos esteve perto do bicampeonato mundial dos 50 metros borboleta neste sábado, mas não resistiu ao melhor nadador do ano, o sul-africano Chad Le Clos, e acabou levando a medalha de prata no Mundial de Piscina Curta, disputado em Doha, no Catar. Depois de Santos brilhar, a equipe brasileira se destacou no revezamento 4×50 metros livre misto e faturou a medalha de bronze.

Nicholas Santos bateu em segundo nos 50m borboleta com o tempo de 22s08, pouco acima dos 21s95 – novo recorde do campeonato – do rival da África do Sul. “Estou contente. Estou superfeliz”, comemorou o veterano, satisfeito com sua performance.

“Não faltou nada, nadei meu melhor. Enfrentei o melhor nadador do mundo”, disse o nadador de 34 anos, em entrevista ao Sportv. Santos buscava o bicampeonato porque vencera a mesma prova no Mundial de Istambul, em 2012. Já Chad Le Clos, eleito o melhor nadador do ano, levou o terceiro ouro em Doha. Além dos três títulos mundiais, ele tem um recorde mundial.

A prata conquistada neste sábado é a terceira medalha de Nicholas Santos em Doha. Antes, levara o ouro nos revezamentos 4×50 metros medley e 4×50 metros medley misto. Ao todo, o Brasil soma agora seis medalhas. Além dos pódios de Santos, a equipe brasileira se destacou com a medalha de ouro de Felipe França nos 100 metros peito e com os bronzes de Cesar Cielo nos 50 metros livre e do revezamento 4×50 metros livre misto.

O revezamento subiu ao pódio sob a liderança de Cesar Cielo. Após decepcionar na sexta, com o terceiro lugar nos 50m livre, sua especialidade, o experiente nadador deu contribuição decisiva para o pódio brasileiro, ao lado de João de Lucca, Etiene Medeiros e Larissa Oliveira. Eles marcaram o tempo de 1min29s17. Os Estados Unidos levaram o ouro com direito a recorde mundial: 1min28s57. Os russos ficaram com a prata (1min29s13).

Também teve recorde em mais uma prova da húngara Katinka Hosszu. A “Dama de Ferro” impôs nova marca mundial pela sexta vez neste Mundial, desta vez nos 200 metros medley, com o tempo de 2min01s86. Com o recorde, ela se igualou aos quatro ouros obtidos pela rival espanhola Mireia Belmonte em Doha – ao todo são seis medalhas neste Mundial.

MAIS BRASILEIROS – Quatro nadadores do País asseguraram vagas em finais neste sábado. Felipe França, dono de três medalhas de ouro até agora, avançou nos 50 metros peito, sua especialidade, ao lado de João Gomes Júnior.

Nos 100 metros medley, Henrique Rodrigues foi à final com o 7º tempo, enquanto Thiago Simon não conseguiu avançar. O favorito à medalha de ouro é o experiente norte-americano Ryan Lochte.

No feminino, Daiene Dias conquistou a vaga na final dos 100 metros borboleta. Já Daynara de Paula ficou pelo caminho, sem lugar na decisão da medalha. Nos 50 metros livre, Larissa Oliveira também não conseguiu avançar.