Kaiserslautern – Austrália e Japão abrem o Grupo F, às 10h (de Brasília) de hoje, em Kaiserslautern, em partida que as duas equipes consideram decisiva para as esperanças de classificação para as oitavas-de-final. Os dois técnicos, o holandês Guus Hiddink e o brasileiro Zico, respectivamente, consideram muito difícil vencer o Brasil, e por isso apostam as fichas nesse confronto e nos jogos contra a Croácia.

A Austrália chega com um desejo extra: em sua segunda participação em Copas, quer marcar seu primeiro gol – em 1974, na então Alemanha Ocidental, saiu com duas derrotas e um empate por 0 a 0. ?Seria ótimo se eu marcasse, mas o mais importante é sairmos com os três pontos?, diz Viduka, o homem-gol australiano.

?Se vencermos a primeira partida, basta fazer um ponto nos outros jogos?, diz o otimista volante Jason Culina.

A equipe, no entanto, vem desfalcada do meia-atacante Kewell, que se recupera de uma lesão muscular e deve ficar no banco de reservas. Sua ausência é comemorada por Zico. ?Ele pode mudar a partida numa só jogada?, afirma o técnico.

De seu lado, Zico também ressalta a importância do resultado positivo, e diz que está atento à força do rival. ?É um jogo de importância monumental, diante de um time experiente, com muitos jogadores altos e que atuam na Europa?, disse o ídolo rubro-negro, que não terá seu lateral direito titular, Kaji, contundido. Pela esquerda, o brasileiro Alex Santos se recuperou de uma lesão muscular e foi confirmado.

Sua aposta em busca do gol está nos meias Nakamura e Nakata e nos atacantes Takahara e Yanagisawa. ?Nós evoluímos muito?, diz o técnico, que pretende levar o Japão, no mínimo, às oitavas-de-final, repetindo a campanha de 2002, quando o país foi co-anfitrião do Mundial.