Ter disputado duas eliminatórias antes da fase de grupos da Libertadores da América fez o Atlético chegar mais forte para a etapa principal do torneio internacional. Apesar das dificuldades sentidas no início, sobretudo com o pouco tempo de pré-temporada, o Furacão, no sufoco, conseguiu entrar no grupo 4 da competição. A estreia é nesta terça-feira (7), às 21h, diante da Universidad Católica, na Arena da Baixada.

O meia Nikão, que apesar de sentir dores musculares nos últimos dias e de ser poupado de alguns treinamentos, estará em campo diante da equipe chilena. O jogador acredita que o Atlético entra fortalecido para a fase de grupos e que os jogos em casa farão a diferença para a classificação às oitavas de final.

“Nesses quatro jogos que tivemos na fase eliminatória, a gente não tinha nem um mês de pré-temporada, então o ritmo não é o mesmo. Você acaba indo um pouco para o sacrifício. Outros times brasileiros que estão na Libertadores, como o Flamengo e o Palmeiras, foram gradativamente jogando o campeonato estadual e adquirindo formas física e tática aos poucos. Já tivemos que entrar em duas decisões, então isso conta muito. Nenhum jogo é fácil, não tem que escolher A ou B, ainda mais no grupo que a gente está. Creio que os jogos em casa vão fazer toda a diferença”, declarou Nikão.

Para conseguir largar com vitória, o setor ofensivo do Atlético terá que funcionar neste primeiro duelo contra os chilenos. O técnico Paulo Autuori não contará com o atacante Grafite, suspenso. Com isso, as características do ataque devem mudar. Isto porque Pablo deverá jogar mais isolado na área e o meia Felipe Gedoz atuará como homem de velocidade pelo lado. Nikão atuará pelo outro lado e Carlos Alberto jogará mais centralizado na criação das jogadas.