Quando o termo “roubo” é usado no futebol, é sempre no sentido figurado. O árbitro errou num lance? “Fomos roubados”. O tapetão mudou o resultado? “Fomos roubados”. A negociação foi toda estranha? “Fomos roubados”. Mas ontem o torcedor do Atlético pôde dizer que seu clube foi roubado. Literalmente.

A Polícia Civil cumpriu doze mandados de busca e apreensão na casa de nove funcionários e três ex-funcionários do Atlético. A “Operação Tempestade” apreendeu centenas de camisas, agasalhos, chuteiras e materiais esportivos. Sete pessoas foram conduzidas ao 10º Distrito Policial, no bairro Sítio Cercado.

A investigação se estendeu por um mês e meio e começou após uma denúncia feita pelo próprio clube. “Foi apreendido muito material. São camisas, agasalhos, camisas de treino, até sunga usada por jogadores”, contou o investigador Luiz Schmidt. Segundo a polícia, o Atlético confirma que o tipo de material apreendido não é dado como presente ou recompensa aos funcionários. O material é de uso exclusivo dos jogadores. E acabou desviado.

Lembranças! Leia mais do Atlético na coluna do Mafuz!

Alguns investigados não foram encontrados, mas estão intimados a prestar esclarecimentos. “São funcionários e ex-funcionários envolvidos no esquema. Ninguém foi preso, mas alguns já prestaram esclarecimentos e deverão ser indiciados ao final do inquérito”, acrescentou o investigador. O Atlético já está tomando medidas administrativas para demitir por justa causa quem ainda tem vínculo com o clube.

A Polícia ainda investiga a participação destes funcionários e de outros terceirizados no roubo de 19 televisores de 29 polegadas e do desvio de material de construção durante a Copa do Mundo.

Liberados

O Atlético pode contar com dois reforços gringos para o jogo de domingo, às 11h, contra o Palmeiras, no Allianz Parque. Os meio-campistas Fernando Barrientos e Daniel Hernandez foram registrados no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e estão à disposição do técnico Milton Mendes para a partida.

Arena não tem alvará

Uma reunião envolvendo órgãos municipais e estaduais será fundamental para a liberação do alvará da Arena da Baixada para o show de Rod Stewart, no dia 17 de setembro, o primeiro grande evento no novo estádio. Será nessa reunião que a Comissão de Análise de Grandes Eventos (CAGE) irá analisar o pedido de alvará feito pelo Atlético. O secretário de urbanismo de Curitiba, Reginaldo Cordeiro, explicou que todo grande evento precisa de um alvará específico. E a princípio Cordeiro não vê problemas para a Arena conseguir essa aprovação do CAGE, já que o estádio já tem uma liberação prévia para eventos. Porém, se ocorrer a aprovação, o Atlético ainda terá que ir atrás das liberações específicas para enfim conseguir o alvará para o show. (Robson Martins)