A cada partida, o elenco do Atlético está mais entrosado e fazendo o ‘estilo Diniz‘ funcionar com mais eficiência. Explorando os jogadores em funções que não são as de origem, o treinador tem feito com que os atletas trabalhem de forma diferente da que estão acostumados. O lateral-esquerdo Thiago Carleto, um dos destaques da equipe na vitória expressiva de 5×1 diante da Chapecoense, no último domingo (15), fez questão de explicar que as ideias de Fernando Diniz fazem com que os jogadores exerçam sua profissão da melhor maneira possível.

“Era óbvio que a gente ia ter um pouco de dificuldade no começo. Além de termos jogado poucos jogos, é uma maneira diferente de jogar. Mas a ideia que o professor Diniz tem de jogo, quando o jogador assimila, ele realmente pratica o futebol. Você consegue exercer a sua profissão”, disse o atleta que detalhou um pouco do modelo proposto pelo técnico.

“Jogar futebol não é só atacar com cinco e defender com cinco. Na tática do professor Diniz a gente ataca com onze e defende com onze. Por isso que não tem função, então quem pode defender são os próprios atacantes”, detalhou o camisa 26, que exemplificou a estratégia.

“Bergson, Ribamar ou Ederson, quem estiver (na função), também pode virar zagueiro. Nós laterais também podemos virar atacantes ou zagueiros. Então, a principal tática do professor é essa”, completou Carleto.

Segundo o jogador, mesmo que os adversários já tenham estudado quais são as características do Rubro-Negro e tentem a infiltração para anular o esquema, o time continuará com a mesma postura em campo.

“O professor Diniz pede que a gente jogue de acordo com o que a gente treina, independente de como o adversário vem e a gente tem procurado fazer isso”, finalizou.