Foto: Valquir Aureliano/O Estado

Apesar de cansado pela viagem de ônibus, Denis Marques confia.

O show de gols vai continuar? Se depender do ritmo dos últimos jogos do Atlético, a perspectiva é de muitas bolas na rede hoje, a partir das 18h10, no Maracanã. Prometendo manter o estilo ousado, o Furacão pega o Flamengo para aproximar-se do novo foco: uma vaga na Libertadores.

Nas últimas quatro rodadas, o Atlético anotou a impressionante marca de 18 gols (ou 4,5 por jogo), com direito ao histórico 6 a 4 contra o Vasco, na quarta-feira. O resultado do futebol superofensivo foi a classificação à semifinal da Sul-Americana e a retomada da ambição por uma vaga no outro torneio continental. De ressabiado pelo rebaixamento, o Rubro-Negro passou a candidato à Libertadores – apenas quatro pontos o separam do Paraná, último entre os atuais classificados ao torneio.

De quebra, o Furacão passou a ostentar o 2.º melhor ataque do Brasileirão, com 55 gols, dois a menos que o líder São Paulo.

É certo que três desses últimos quatro jogos foram disputados na Arena.

Mesmo em viagem, porém, o Rubro-Negro vem mantendo posicionamento semelhante – foram 10 gols nas quatro partidas mais recentes como visitante. E diante do Fla a postura não deve mudar. ?Seremos agressivos. Até porque precisamos vencer para continuar sonhando?, falou o técnico Vadão, que faz apenas uma mudança no time em relação à vitória sobre o Vasco: Denis Marques, que cumpriu suspensão, volta no lugar de Paulo Rink. ?Denis vinha jogando muito bem e ganhou destaque pelos belos lances e gols?, justificou o treinador.

Outro fator que pode beneficiar o Furacão é um certo desinteresse do adversário. O Mengo é o time com menos aspirações nesta reta final do Brasileirão – ao mesmo tempo em que já está classificado para a Libertadores, acumula 9 pontos acima da zona de rebaixamento. Na rodada passada, precisou de um gol contra para empatar em casa com o lanterna Santa Cruz.

Por outro lado, ainda pesa contra o Atlético a maratona de jogos (quase três meses seguidos com dois jogos semanais), agravada pela viagem de 12 horas de ônibus até o Rio de Janeiro. Por causa da crise na aviação nacional, o Rubro-Negro deixou Curitiba no final da noite de quinta e chegou à capital fluminense às 11 da manhã de ontem. ?Estou cansado demais, mas confiante?, disse Denis Marques, logo no desembarque. Apesar disso, Vadão ainda não pensa em poupar jogadores. ?Teremos três rodadas do Brasileiro antes de jogar na Sul-Americana.

Dependendo da pontuação nestas partidas pensaremos no que fazer?, afirmou.

Campeonato Brasileiro
Súmula
Local: Maracanã
Horário: 18h30
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (FIFA/RS)
Assistentes: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e José Antônio Chaves Franco Filho (RS)

Flamengo x Atlético

Flamengo
Bruno (Diego); Leonardo Moura, Fernando, Ronaldo Silva e Juan; Paulinho, Léo Medeiros, Toró e Renato; Fellype Gabriel e Obina. Técnico: Ney Franco

Atlético
Cléber; Evanílson, Danilo, João Leonardo e Michel; Erandir, Alan Bahia, Cristian e Ferreira; Denis Marques e Marcos Aurélio. Técnico: Vadão

Navarro Montoya já ?se fué?

A aventura do experiente Carlos Fernando Navarro Montoya pela Baixada durou apenas cinco meses. Descontente com a reserva e percebendo que a posição de Cléber parece intocável, o colombiano, naturalizado argentino, rescindiu o contrato com o Furacão e já voltou a Buenos Aires.

Montoya, 40 anos, deixa o Atlético com apenas três partidas a mais no currículo – vitórias sobre o Santos (2 a 1), Fortaleza (4 a 3) e Nacional (2 a 1).

O bom retrospecto não garantiu a camisa 1, situação que lhe trouxe frustração – pior, o goleiro teve que se submeter a um rodízio no banco com Tiago Cardoso. O polêmico arque iro gostava de falar que jamais deixou de ser titular em 22 anos de carreira profissional.

Montoya aproveitou-se de uma cláusula em seu contrato que permitia a rescisão a qualquer momento, sem ônus financeiro. Seu próximo e provavelmente último destino deve ser o Boca Juniors, clube que defendeu por dez anos e onde viveu o auge da carreira. Em setembro, o clube argentino já havia sondado o veterano para substituir o reserva García, que sofreu séria lesão. Na época, Montoya disse à imprensa argentina que seria ?maravilhoso? voltar a La Bombonera.

Morumbi cobiça Dago

O caso Dagoberto pode ter novo desfecho. O destino do jogador ainda seria o São Paulo, mas agora envolveria uma troca com os atacantes Tiago e Alex Dias. Nenhum dos clubes confirma a negociação.

A Massa Sports, empresa que administra a carreira de Dago, também nega a transação.

?Se Atlético e São Paulo estão conversando, ainda não fomos informados?, diz Naor Malaquias, um dos sócios da Massa, dizendo que conhecia o teor da especulação. A posição oficial da empresa e do jogador é a intenção de cumprir o contrato, cuja prorrogação por 250 dias foi confirmada semana passada pela 8.ª Vara do Trabalho.

A Massa, porém, ainda cogita recorrer da decisão no Tribunal Regional do Trabalho.