Orlando Kissner
Lima e Paulo André garantiram
a vitória no clássico e dizem
que tudo é possível.

Será que ainda é possível? Depois de ter que brigar para fugir da zona de rebaixamento e superar turbulências internas, o Atlético está mostrando que ?ressuscitou? dentro do Campeonato Brasileiro e vai em busca de uma vaga à Copa Libertadores. Se os nove pontos que separam o Fluminense do Rubro-Negro são uma distância muito grande a ser superada, as quatro vitórias seguidas dão mostras que o time tem fôlego e está motivado para voltar a jogar pelas Américas. Não vai ser fácil, mas se o time mantiver o aproveitamento dos últimos jogos pode, e deve, até sonhar.

?No começo do campeonato ninguém estava acreditando na gente, mas somos um grupo, estamos fortes e unidos e, agora, é trabalhar e começar a pensar no jogo contra o Atlético Mineiro?, analisa o artilheiro Lima. Pode parecer empolgação pela vitória no clássico contra o Coritiba, mas os jogadores colocaram mesmo o torneio internacional como objetivo nessa reta final. ?Tem uma luz no fim do túnel, temos a chance de buscar uma vaga na Libertadores. Sabemos que é muito difícil, mas vamos lutar?, aponta o zagueiro Paulo André.

E vai ter que ser uma verdadeira luta, mesmo, para recuperar o terreno perdido durante a competição. No momento, o último a se garantir na Libertadores tem um aproveitamento de 58%, contra 46% do time da Baixada. Para alcançar esse nível no final do Brasileiro e ter chance de estar entre os quatro primeiros colocados, o Furacão precisa chegar aos 73 pontos. Difícil. Com os 45 conquistados até aqui, faltam ainda 28, que podem ser obtidos nas dez rodadas restantes.

A tarefa é quase impossível. Conquistar nove vitórias e um empate daqui para frente no Nacional, mas esses números podem mudar conforme o aproveitamento de quem está à frente na tabela. Para ajudar o time comandado por Evaristo de Macedo, alguns dos próximos confrontos são contra concorrentes diretos, como Fluminense, Paraná Clube e Goiás. Pelas estatísticas, a possibilidade de chegar ao torneio internacional, que era de apenas 0,9% a três rodadas atrás, subiu para 1,2% antes do confronto contra o Coxa e, agora, já está em 2%. Uma subida considerável e que permite aos atleticanos sonhar. Por que não?