Depois de quatro dias com 6 horas diárias de conversa, Renato Gaúcho finalmente disse sim ao Atlético e na quinta-feira será apresentado como novo treinador da equipe. Contra o Internacional, amanhã, o time será comando interinamente por Leandro Niehues.

E até a data de chegada, Gaúcho segue no Rio de Janeiro curtindo os últimos dias de férias antes de encarar mais um desafio, mas já mandou seu recado esperançoso para os atleticanos.

“O campeonato está no início, ainda dá tempo de reverter a situação. Sei que não será fácil, mas posso garantir que não vai faltar trabalho de minha parte”, disse Renato, através de sua assessoria.

E assim como aconteceu em 2010, quando assumiu o Grêmio, Renato Portaluppi encontrará um momento extremamente delicado, com o Furacão amargando a lanterna do Campeonato Brasileiro.

Ano passado, quando ele chegou a Porto Alegre, o tricolor gaúcho era o 17.º colocado e já tinham se passado 15 rodadas da Série A.

No Furacão, a situação na tabela é um pouco pior, mas a jornada percorrida é metade do que o treinador enfrentou em 2010. Reconstruindo o grupo gremista, Renato conseguiu colocar seu clube à frente do próprio Atlético, ficando na quarta posição e assegurando uma vaga na Copa Libertadores desse ano.

“Na ocasião, ninguém imaginava que faríamos a melhor campanha do segundo turno do Brasileiro. O trabalho foi duríssimo. Mas conseguimos. Sempre gostei de desafios na minha carreira e dessa vez não será diferente. Confio no projeto que o Atlético me apresentou. Podemos realizar um grande trabalho”, relembrou Renato.

Mas não foi apenas o perfil de “salvador” de Gaúcho que seduziu a diretoria atleticana, a postura de agregador que conseguiu mostrar, também entrou na lista dos pontos que o colocaram como nome desejado quando pediu demissão no Grêmio, semana passada.

E mesmo com toda demora em aceitar a proposta, o diretor de futebol do Atlético, Alfredo Ibiapina, não desistiu e conseguiu fechar o acordo com o novo treinador dentro do que o clube esperava.

“O Atlético precisa de um treinador com este perfil. Vencedor, campeão como treinador e atleta. Um cara que saiba trabalhar com grupo, que tenha facilidade com grupo e carisma com os jogadores”, disse Ibiapina.