Depois de demitir Jorginho, no sábado, o Atlético revela não ter pressa para escolher o novo treinador. O time joga hoje, às 21h, contra o América-RN, em Natal, e será dirigido por profissionais da casa: Ricardo Drubscky será o técnico interino, mas, como está suspenso, ficará na arquibancada. O ex-lateral Alberto dirigirá a equipe na beira do gramado. Segundo o vice-presidente de futebol, João Alfredo Costa Filho, não está descartada a possibilidade desta “solução caseira” se tornar definitiva. O dirigente disse ao Paraná Online que a escolha do novo treinador não deverá acontecer antes da partida de hoje e até pode nem ocorrer.

“Por enquanto não tem nada. Não iniciamos negociação com ninguém. Só vamos começar depois do jogo e, quem sabe, a solução pode estar dentro de casa” declarou.

O dirigente afirmou que a diretoria será criteriosa, caso resolva trazer um novo comandante, para não errar novamente. “Agora, nós não podemos errar, senão nós ficamos com a corda no pescoço”, afirmou. Ele negou as especulações em torno de nomes como Falcão e Toninho Cerezzo. “Estes nomes citados não são verdade”, garantiu.

Por sua vez, Ricardo Drubscky não esconde que sonha em reassumir o cargo. Ele foi contratado, após a demissão de Juan Carrasco, mas dirigiu apenas duas partidas e deu lugar a Jorginho. “Olha, eu não estou mais com idade para brincar de esconde-esconde. Eu torço para ficar (no cargo). Eu já disse isso para diretoria: “tomara que vocês não encontrem um treinador tão cedo’. Eu acho que tenho competência para dirigir esta equipe”, declarou.

O técnico-interino dirigiu o último treinamento, ontem, em Natal, mas deixou o time indefinido. A equipe considerada titular teve algumas mudanças que chamaram a atenção. O meia Henrique foi escalado como lateral-direito e o recém-contratado Pedro Botelho, entrou na lateral-esquerda, no lugar de Héracles. No ataque, a novidade foi Fernandão, que formou dupla com Marcelo. O Atlético é 11.º colocado, com 20 pontos e precisa vencer, para não descolar de vez do G4.