A classificação do Athletico para a semifinal da Copa do Brasil diante do Flamengo, na noite de quarta (17), no Rio de Janeiro, foi especial para o goleiro Santos. Não apenas por ter feito um bom jogo durante os 90 minutos e defendido dois pênaltis na decisão da vaga, mas também por ter nas cadeiras do Maracanã uma parte da sua família. Sua irmã estava lá e ganhou de presente a camisa 1 usada pelo arqueiro atleticana na noite memorável do Furacão no maior palco do futebol mundial.

+ Leia mais: Zoação toma conta das redes sociais depois de eliminação do Flamengo

“Minha irmã mora aqui há algum tempo. Como não tinha torcida nossa estava preocupado por estar no meio da torcida do Flamengo. Hoje em dia as coisas mudaram, graças a Deus e não aconteceu nada demais. Estou feliz por tudo. Foi uma noite especial para mim e é glorificar a Deus pelo trabalho que a gente vem fazendo. Agora é focar. Sábado tem mais um jogo, na quarta-feira que vem mais uma decisão pela Libertadores. Vamos firmes porque o ano é longo e promete”, comemorou.

+ Veja ainda: Tiago Nunes festeja equilíbrio emocional do Furacão

O arqueiro, diante do Flamengo, manteve sua regularidade. O camisa 1, no tempo normal, fez pelo menos três grandes defesas e ajudou o Athletico a levar a decisão para as cobranças de penalidades. Mesmo com pouco tempo de treino entre uma partida e outra, o atleticano destacou a boa preparação do Furacão para chegar bem condicionado para a disputa dos pênaltis.

+ Também na Tribuna: Furacão tira onda e prova Fla depois da classificação

“Conseguimos fazer nosso ritmo de jogo e pude pegar duas penalidades e ajudar meus companheiros com a classificação. Tivemos um jogo difícil no domingo também e pouco tempo para treinar. Treinamos pênaltis também e graças a Deus fui feliz ao pegar dois pênaltis”, vibrou Santos.

Santos provou que conhecia bem os cobradores do Flamengo. Ele defendeu a primeira cobrança do meia Diego com muita tranquilidade. O camisa 1 ficou parado no meio do gol e surpreendeu o camisa 10 do Flamengo. Depois, também defendeu a batida do meia Everton Ribeiro.

+ Preju? Japoneses cobram grana alta de Athletico e Rony

“A gente estuda os batedores deles, assim como eles também estudam os nossos. Imaginava que ele poderia bater no meio, mas o Diego é um jogador de qualidade e poderia variar a qualquer momento. A gente fica feliz por ter acertado e por poder pegar o pênalti”, finalizou Santos.

+ Atenção! Você está a um clique de ficar por dentro do que acontece em Curitiba e Região Metropolitana. Tudo sobre nossa regiãofutebolentretenimento horóscopo, além de blogs exclusivos e os Caçadores de Notícias, com histórias emocionantes e grandes reportagens. Vem com a gente!