A primeira final de Copa Libertadores entre equipes do mesmo país completa 15 anos. Em 2005, Athletico e São Paulo protagonizaram uma decisão verdadeiramente à brasileira – repleta de polêmica nos bastidores.

Após dois jogos, disputados no Beira-Rio e no Morumbi, o Tricolor levou a melhor e faturou seu terceiro título. Na primeira parte do duelo, deslocado para Porto Alegre por decisão da Conmebol, empate por 1×1 em uma gelada noite de 6 de julho.

Na volta, em 14 de julho, o Furacão desperdiçou o pênalti que empataria o jogo na ida para o intervalo. O baque foi grande e o time não resistiu à pressão do Tricolor, que fez 4×0 com facilidade e acabou com o sonho atleticano de conquistar a América.

Em fotos exclusivas do arquivo GRPCOM, relembre a rotina do duelo, do dia 3 ao 14, com tudo que aconteceu na grande finalíssima, a primeira de uma equipe paranaense na Libertadores.

Veja os capítulos anteriores do diário: 3 de julho4 de julho5 de julho6 de julho7 de julho, 8 de julho.

Diário da decisão

Vitória no Atletiba

Três dias antes da decisão da Libertadores, o Athletico comemorou. Na Arena da Baixada, venceu o rival Coritiba por 1×0. O gol foi marcado pelo meia Evandro, de 18 anos, aos 34 minutos do primeiro tempo.

Apesar da pouca idade, o prata da casa mostrou personalidade e até provocou a torcida alviverde na comemoração.

Foto: Hedeson Alves/Arquivo/Gazeta do Povo
Foto: Hedeson Alves/Arquivo/Gazeta do Povo
Foto: Rodolfo Bührer/Arquivo/Gazeta do Povo

A partida, válida pela 11ª rodada da Série A, marcou a primeira vitória atleticana. Antes, o time havia empatado três vezes e perdido em sete oportunidades. Foi o fim do jejum, justamente contra o arquirrival.

Como os titulares foram poupados para o jogo contra o São Paulo, o Furacão jogou com Tiago Cardoso; Rodriguinho, Paulo André, Adriano e Tiago Vieira; Beto, Marcus Vinícius, André Rocha e Evandro; Fernandinho e Rodrigo. Ferreira, Juninho e Dagoberto entraram na etapa final.

Foto: Valterci Santos/Arquivo/Gazeta do Povo
Foto: Valterci Santos/Arquivo/Gazeta do Povo
Foto: Valterci Santos/Arquivo/Gazeta do Povo
Foto: Valterci Santos/Arquivo/Gazeta do Povo
Foto: Valterci Santos/Arquivo/Gazeta do Povo
Foto: Rodolfo Bührer/Arquivo Gazeta do Povo

No clássico, o Athletico estreou as arquibancadas tubulares instaladas para que a Arena da Baixada atingisse os 40 mil lugares exibidos pelo regulamento da Libertadores para receber a decisão.

Não adiantou nada, contudo, já que a Conmebol vetou o estádio e o primeiro jogo foi disputado no Beira-Rio, em Porto Alegre.

Foto: Rodolfo Bührer/Arquivo Gazeta do Povo

O duelo também foi uma reedição da final do Paranaense, em abril. Na ocasião, o Furacão levantou a taça em casa após uma vitória pelo placar mínimo no tempo normal e 4×2 nas cobranças de pênalti.

Curiosamente, o técnico Antônio Lopes comandava o Coxa no Estadual – Edinho era o treinador atleticano. Já no Brasileirão, quem estava à frente do Alviverde era o paranaense Cuca.

Foto: Rodolfo Bührer/Arquivo Gazeta do Povo

Veja os capítulos anteriores!

+ Diário do Athletico na final, 8/7: outro foco! Em fotos, a saga da Libertadores
+ Diário do Athletico na final, 7/7: pensar no futuro! Em fotos, a saga da Libertadores 2005
+ Diário do Athletico na final, 6/7: frustração! Em fotos, a saga da Libertadores 2005
+ Diário do Athletico na final, 5/7: ansiedade! Em fotos, a saga da Libertadores
+ Diário do Athletico na final, 4/7: tensão! Em fotos, a saga da Libertadores
+ Diário do Athletico na final, 3/7: suspense! Em fotos, a saga da Libertadores

+ Mais do Furacão:

+ Petraglia defende retorno imediato do Paranaense e fala sobre casos de Covid-19
+ FPF apela pra Câmera de Curitiba pra retomar o Paranaense
+ CBF divulga calendário com as datas do Brasileirão e Copa do Brasil


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?