O Athletico jogou fora a chance de entrar de vez na briga pelo G6 do Campeonato Brasileiro. Em jogo atrasado da 13ª rodada, o time atleticano não foi bem e, em um duelo de pouca inspiração ofensiva dos dois times, acabou perdendo para o São Paulo por 1×0 na noite desta quarta-feira (21), na Arena da Baixada. O Furacão, com 22 pontos, permaneceu na oitava posição e vai tentar a recuperação na competição nacional diante do Grêmio, neste sábado (24), às 17h, em Porto Alegre.

Com visíveis problemas ofensivos nas últimas jornadas, o técnico Tiago Nunes mudou o ataque. Marco Ruben, em má fase, deixou a equipe e Nikão foi a novidade. Mas foi o atacante Marcelo Cirino quem jogou como centroavante. E foi o camisa 10 o responsável pela melhor chance do Furacão no primeiro tempo. Madson recebeu livre, cruzou e Marcelo Cirino só não marcou graças ao zagueiro Anderson Martins.

+ Confira como foi o jogo entre Athletico e São Paulo!

O Athletico, como sempre faz dentro do Caldeirão, pressionou o São Paulo nos primeiros minutos. O time rubro-negro conseguia marcar bem a saída de bola da equipe paulista, criava dificuldades ao adversário, mas não conseguia transformar seu volume de jogo em chances de gol. Com seus homens de frente pouco inspirados, o Athletico rodava a bola de um lado para o outro, mas não tinha objetividade. Bruno Guimarães não estava inspirado e Rony, acostumado a desequilibrar, errou todas as suas tentativas no primeiro tempo. O São Paulo, por sua vez, apostou na marcação eficiente para acabar com o ímpeto ofensivo do Furacão. Aos poucos, o tricolor paulista conseguiu equilibrar a partida, mas chegava apenas em chutes de média distância.

Assim, jogando no erro do Athletico, o São Paulo conseguiu abrir o placar aos 39 minutos. Rony perdeu a bola no meio e, no contra-ataque, o tricolor paulista tocou a bola de pé em pé e Vitor Bueno, na cara do gol, bateu sem chances para o goleiro Santos. Imediatamente o Furacão foi com tudo ao ataque em busca do empate. Ainda nos minutos finais, no mesmo lance, Madson e Léo Pereira aproveitaram as bolas levantadas na área, mas as conclusões não foram bem executadas e o Rubro-Negro foi para o intervalo em desvantagem.

Marcelo atuou como centroavante no primeiro tempo. Foto: André Rodrigues.
Marcelo atuou como centroavante no primeiro tempo. Foto: André Rodrigues.

O Athletico voltou do intervalo com Marco Ruben no lugar de Rony. O Furacão ficou mais presente no campo ofensivo, só que seguiu bastante nervoso. Assim, errava seguidos passes e, diante da estratégia mais defensiva do São Paulo, dava espaços para os contra-ataques do adversário. O camisa 9, na primeira chance que teve, apareceu entre os zagueiros aos quatro minutos, mas a bola subiu demais.

O tricolor paulista, mais organizado taticamente e com o controle da partida, conseguia administrar bem o jogo. Com espaços, o São Paulo teve a chance de marcar o segundo gol aos 13 minutos, mas Raniel, livre na área, bateu cruzado e mandou para fora. Com dificuldades de furar a retranca dos visitantes, o técnico Tiago Nunes apostou na entrada de Vitinho no lugar de Thonny Anderson.

+ Confira a tabela e a classificação do Brasileirão!

O Athletico, na verdade, ganhou em velocidade pelo lado esquerdo. O camisa 28, junto com Adriano, conseguia confundir um pouco mais a defesa do São Paulo, mas faltava capricho no último passe. Aos 27, Nikão cruzou, Vitinho cabeceou para o meio da área e Marco Ruben não aproveitou. O Athletico aumentou a pressão nos minutos finais. Passou a usar bem os lados do campo, mas nas bolas aéreas, a defesa são-paulina levou a melhor em todas oportunidades. O São Paulo, todo retrancado, voltou a ter Daniel Alves mais a frente com a entrada de Willian Farias. O tricolor paulista sustentou, então, seu setor de contenção e ganhou mais uma peça no meio de campo para tentar ter uma transição mais rápida nos contra-ataques.

Nos minutos finais, o Athletico foi para o tudo ou nada. Tomás Andrade entrou na vaga do volante Wellington e deixou o Rubro-Negro mais ofensivo. Aos 35, Madson recebeu na área de Bruno Guimarães e Tiago Volpi fez boa defesa. Aos 42, Marco Ruben ainda teve uma grande chance de bicicleta, mas não conseguiu marcar o golaço. Apesar de jogar todo no campo de ataque, o time atleticano seguiu errando demais. Melhor, então, para o São Paulo, que se defendeu bem e garantiu a vitória na Arena da Baixada.

Ficha técnica

BRASILEIRÃO
1º Turno – 13ª Rodada

ATHLETICO 0X1 SÃO PAULO

Athletico
Santos; Madson, Pedro Henrique, Léo Pereira e Adriano; Wellington (Tomás Andrade), Bruno Guimarães e Nikão; Marcelo Cirino, Rony (Marco Ruben) e Thonny Anderson (Vitinho).
Técnico: Tiago Nunes

São Paulo
Tiago Volpi, Igor Vinicius, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Tchê Tchê, Liziero (Léo) e Daniel Alves; Antony (Juanfran), Vitor Bueno (Willian Farias) e Raniel.
Técnico: Cuca

Local: Arena da Baixada
Árbitro: Daniel Nobre Bins (RS)
Assistentes: José Eduardo Calza (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)
Gols: Vitor Bueno, 39 do 1º
Cartões amarelos: Bruno Guimarães, Thonny Anderson, Wellington (CAP); Reinaldo, Arboleda (SAO)
Renda: R$ 765.475,00
Público total: 21.562

+ Você sabia que está a um clique de ficar por dentro do que acontece em Curitiba e Região Metropolitana? Tudo sobre futebolentretenimentohoróscopo, nossos blogs exclusivos e os Caçadores de NotíciasVem com a gente!