Por conta do caso de doping no Athletico, a diretoria do clube demitiu seis profissionais ligados diretamente ao ocorrido. Na última segunda-feira, conforme orientação do departamento jurídico do Furacão, os funcionários responsáveis por indicar que os atletas ingerissem higenamina foram desligados de suas atividades. Entre os demitidos, está o filho do presidente do Conselho Administrativo do Rubro-Negro, Luiz Sallim Emed.

+ Entenda o que é a higenamina!

De acordo com o Blog da Nadja, da jornalista Nadja Mauad, os demitidos são o coordenador do departamento de performance, Márcio Henrique, o preparador físico, Jean Lourenço, o fisiologista, André Fornaziero, o nutricionista Felipe Hostim, e os médicos Alexandre Cabral e Luiz Gustavo Emed.

O zagueiro Thiago Heleno e o volante Camacho foram pegos no teste da Conmebol, em um jogo cada na Copa Libertadores, pelo uso da substância e aguardam julgamento. Camacho também testou positivo para doping em um jogo do Campeonato Brasileiro. Ambos estão afastados preventivamente.

+ Confira também: Ex-goleiro do Athletico cai no doping por uso de cocaína

Ainda não há data marcada para o julgamento dos atletas, mas em coletiva de imprensa realizada no dia 13 de maio, o presidente do Conselho Deliberativo do Athletico, Mario Celso Petraglia, deixou claro que os jogadores não tiveram nenhuma culpa e garantiu que o clube iria se responsabilizar pelo ocorrido.

“Nosso objetivo básico, fundamental e determinante é assumirmos a culpa e a responsabilidade da ocorrência e buscamos de todas as formas de isenção dos atletas. Eles foram absolutamente vítimas”, disse na ocasião.