São Paulo – Até Caio Júnior tem dinheiro a receber do Palmeiras. O técnico, que começou a trabalhar em janeiro, ainda não recebeu os direitos de imagem deste mês. ?Minha situação é igual a dos demais?, admitiu o treinador.

Enquanto Paulo Baier não agüentou os atrasos de salário e acertou sua saída do Palmeiras, Caio Júnior espera que a situação seja resolvida em breve. Esta é a primeira experiência dele como técnico de um time grande. Recebe R$ 60 mil, quatro vezes mais do que ganhava no Paraná e o mesmo valor que recebia Paulo Baier.

O técnico já reconheceu que esses atrasos podem estar atrapalhando o rendimento da equipe. ?Mas creio que num prazo de 20 dias tudo estará sanado. Isso vai ser muito bom, porque não quero mais atleta com nenhum outro tipo de preocupação na cabeça?, afirmou Caio Júnior.

Ele fez questão de ressaltar, porém, que não notou ninguém fazendo ?corpo mole? em campo.

Conexão Paraná

O torcedor palmeirense que questiona a qualidade técnica de Edmílson, Pierre e Cristiano pode ficar tranqüilo: o substituto de Paulo Baier não virá do Paraná. Quem garante é Caio Júnior, responsável pela contratação do trio.

Paulo Baier faz acordo

São Paulo – Paulo Baier deixou o Verdão ontem. O lateral-direito, de 32 anos, entrou em acordo com a diretoria do clube e perdoou a dívida de quatro meses de direito de imagem em troca de sua liberação – o contrato ia até o final de 2007. Ele recebia R$ 60 mil por mês, sendo R$ 30 mil em direitos de imagem.

A dívida chegaria a R$ 300 mil, já que havia também uma bonificação (?luvas?) que não havia sido paga.

?A gente fez o acordo e ficou bom para as duas partes. Não sou mais jogador do Palmeiras. Agora estou desempregado?, afirmou Paulo Baier, negando que já tenha conversas com outro clube. Mas ao assumir que em sua decisão pesou também o aspecto familiar, deu margem às especulações sobre uma suposta volta ao Rio Grande do Sul, seu estado de origem.

O interessado seria o Grêmio. ?O que quero agora é descansar pelo menos uma semana.?

O lateral negou também que estivesse fazendo ?corpo mole? por causa dos salários atrasados. ?É claro que é difícil (ficar sem receber), mas isso não interferiu no meu rendimento. Procurei sempre fazer o melhor pelo Palmeiras?, garantiu Paulo Baier.