Palco em que brilham as maiores estrelas da principal liga de basquete do mundo, o All-Star Game da NBA prestará homenagens nesta temporada a dois dos maiores nomes do basquete nos últimos 20 anos. Quando a bola subir em Charlotte, às 22 horas (de Brasília) deste domingo, os olhares estarão voltados para as lindas jogadas de nomes como os de LeBron James e Giannis Antetokounmpo, capitães das equipes desta edição, mas também para as despedidas de Dwyane Wade e Dirk Nowitzki.

Antes mesmo do início da temporada, Wade anunciou que em 2018/2019 faria sua “última dança” na NBA. E ele deixará a liga como maior ídolo da história do Miami Heat, pelo qual atuou por quase 15 temporadas, participando de todas as três conquistas da franquia. Na primeira, ao lado de Shaquille O’Neal, e nas outras duas, formando o trio com LeBron James e Chris Bosh.

“Esta é a decisão mais difícil que já tomei, mas uma das melhores também. Estar nesta posição, ter a carreira que tive, só posso sorrir e me divertir. Esta decisão não é fácil, já me perguntei muito sobre ela”, declarou. “Sinto que o certo é pedir para vocês me acompanharem em uma última dança, uma última temporada. É isso. Dei a este jogo tudo que tenho e estou feliz por isso.”

Com perfil mais discreto que o de Wade, Nowitzki nunca oficializou sua despedida, mas a expectativa de que esta seja sua última temporada da carreira ganhou força quando o dono do Mavericks, Mark Cuban, foi perguntado sobre a possibilidade e respondeu: “Sim, será”.

Enquanto Wade teve breves e discretas passagens por Chicago Bulls e Cleveland Cavaliers, antes de voltar ao Heat para a despedida, Nowitzki jogou todas as 21 temporadas de sua carreira no Mavericks – recorde de um jogador por uma mesma franquia. Também foi o líder da única conquista da equipe na liga. E, diante da importância de ambos para a NBA, o comissário Adam Silver fugiu do protocolo ao convidar ambos para o All-Star Game.

“Acho super válida esta homenagem. Os dois estão fazendo a última temporada na NBA e são jogadores que marcaram a NBA, ainda que de formas distintas”, considera o ex-jogador da seleção brasileira e atual comentarista de basquete na SporTV Marcelinho Machado, em entrevista ao Estado.

Curiosamente, aliás, os astros tiveram os caminhos cruzados durante a carreira. Na final da NBA em 2005/2006, o Miami Heat de Wade encarou o Mavericks de Nowitzki, e o ala/armador levou a melhor, inclusive sendo proclamado o MVP (Jogador Mais Valioso) das finais. Cinco anos mais tarde, as equipe se reencontraram e o alemão deu o troco, levando o time texano a seu primeiro título também como MVP da decisão.

“O Nowitzki carregou o time do Dallas ao título, inclusive contra a equipe do Wade e do LeBron. Foi muito marcante aquela conquista. Ele e o (Manu) Ginóbili são os maiores estrangeiros da história da NBA. E tive o prazer de jogar contra ele, é um jogador de muita qualidade, um arremesso mortal. Merece todas as homenagens”, avalia Marcelinho.

OUTRAS ESTRELAS – Derrotado por Nowitzki na decisão de 2010/2011 ao lado de Wade, LeBron James foi o jogador mais votado pelo público pelo terceiro ano seguido e, por isso, será o capitão de um dos times do All-Star Game. Do outro lado, Antetokounmpo liderará a equipe rival.

Eles foram responsáveis por escolher as escalações, como na disputa de uma “pelada”. LeBron iniciou a seleção e terá ao seu lado como titulares Kevin Durant (Golden State Warriors), Kawhi Leonard (Toronto Raptors), James Harden (Houston Rockets) e Kyrie Irving (Boston Celtics). Já Antetokounmpo jogará ao lado de Joel Embiid (Philadelphia 76ers), Paul George (Oklahoma City Thunder), Stephen Curry (Warriors) e Kemba Walker (Charlotte Hornets).

Wade foi escolhido para o time de seu amigo LeBron, que terá na reserva nomes de destaque como os de Klay Thompson, Anthony Davis e Damian Lillard. Já Nowitzki vai para a equipe de Antetokounmpo, que também vai ter no banco Russell Westbrook, Blake Griffin, entre outros.

“Acho que o time do LeBron ficou melhor, por outro lado, o time do Antetokounmpo é mais agressivo embaixo da cesta. Mas o que vale nesse dia é a festa, e tem tudo para ser mais uma grande festa do basquete”, apontou Marcelinho.