São Paulo (AE) – A medalha do atletismo que faltava nas estatísticas dos Jogos Pan-Americanos apareceu. O atletismo tem 114 medalhas desde o primeiro Pan, em 1951. E isso não se discute mais. O presidente da Confederação Brasileira da modalidade (CBAt), Roberto Gesta de Melo, descobriu o paradeiro de Cely, viúva de José Telles da Conceição, e com ela conseguiu a medalha de bronze que o atleta conquistou nos 200m no Pan da Cidade do México, em 1955, que ainda não consta do quadro estatístico do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

Gesta, dono de considerável coleção de objetos ligados a competições esportivas – na maioria, medalhas -, tem agora os dois bronzes que Telles conquistou em 1955. A outra, no salto em altura, que o dirigente também aproveitou para adquirir, está contabilizada nas estatísticas.

Na década de 50, juntamente com o bicampeão olímpico do salto triplo, Adhemar Ferreira da Silva, Telles era astro do atletismo brasileiro. ?No Pan do México, Telles subiu duas vezes ao pódio: ganhou bronze nos 200m e no salto em altura.