Nos treinos, certos músculos são deixados de lado por diversos praticantes, sobretudo quem busca resultados estéticos. Muitos não são visíveis, outros não participam diretamente dos objetivos traçados (pelo menos é o que acreditam) ou simplesmente representam o “ponto fraco” da pessoa. Desse modo, um conjunto de grupos musculares é pouco estimulado ou até mesmo esquecido (intencionalmente ou não) na sessão de treinamento.

O que não percebem é o fato de que eles são importantes no desempenho, inclusive de outros músculos. Durante os exercícios, nossa musculatura exerce diferentes funções. Parte atua na estabilização das articulações, proporcionando a realização das técnicas de forma segura e eficiente. Alguns músculos, por sua vez, auxiliam significativamente aqueles que geram o movimento.

A soma desses fatores se traduz na possibilidade de treinos mais intensos e com melhor qualidade, além do menor risco de lesões. Atenção especial, portanto, aos músculos menores e profundos dos membros e do tronco, assim como, às regiões que você não gosta de treinar!

O desequilíbrio no condicionamento muscular pode causar, também, má postura e desarmonia na própria estética corporal, a qual é o foco primário de vários adeptos.

Na maioria dos casos, uma estrutura de treino coerente já é suficiente para que o problema seja evitado, não tendo a necessidade enfatizar esses músculos, já que eles são recrutados nos exercícios tradicionais. Quando preciso, o trabalho de fortalecimento deve respeitar os mesmos princípios de treinamento dos outros grupos musculares.

Conte sempre com a orientação de um profissional!