Basta os bebês crescerem um pouquinho e logo os pais ficam ansiosos de os levarem à praia, para ver como vão reagir à brincadeira na areia e na água. Mas muitas mamães ficam com dúvidas sobre como proteger seus filhos adequadamente do sol: pode usar protetor solar infantil? Então, seguem as dicas dadas pela pediatra dos meus filhos.

Até os seis meses, bebês não podem usar nenhum tipo de proteção química, ou seja, os protetores solares, mesmo os infantis. A pele é muito sensível ainda e pode haver irritação. Nesta fase, a única proteção é a barreira física, ou seja, roupas de proteção ultra violeta (à venda em lojas de produtos para bebê em geral ou lojas de produtos esportivos), óculos (procure um de qualidade, para não prejudicar os olhos) e chapéu com abas largas. E claro, sempre na sombra, debaixo de um guarda-sol ou de uma árvore.

Sol /bebês na praiaApós os seis meses, deve-se usar protetor solar com no mínimo FPS 30. Pode, inclusive, ser o mesmo protetor usado pelos adultos. Não há necessidade de ser só o protetor solar infantil. Só evite os produtos que tem perfume ou cor, pois estes aditivos podem causar irritação em peles sensíveis. Também evite os protetores ligados às marcas de hidratantes, por exemplo, e prefira as marcas específicas de proteção solar.

Para crianças que tem pele muito branquinha, pode-se até pensar em FPS 50 ou 60. Mas se a criança não for tão clara, o fator 30 já é ideal, visto que os FPS mais altos são mais caros e a porcentagem de proteção a mais não é tão alta assim, como se imagina (são poucos % a mais, apenas).

Leia a embalagem e siga as orientações quanto ao tempo de reaplicação. O ideal é já passar em casa o protetor e esperar secar. Quando chegar à praia, o produto já está bem absorvido pela pele. Mas não esqueça da proteção de barreira (boné, óculos, roupas com proteção UV, etc.). Ela continua sendo necessária mas, diferente dos bebês muito pequenos, já é possível que a criança saia por alguns instantes da sombra.

Se for usar repelente, aplique-o depois do protetor solar. E fique atento a isto, pois o produto pode reduzir a capacidade de proteção solar do protetor.

Para crianças maiores de dois anos, não é necessário “exagerar” nas roupas de proteção UV e deixá-las somente na sombra. Mas não esqueça de protetor solar, óculos e chapéu.

E claro, tão importante quanto usar o filtro ideal e seguir corretamente as orientações é não se expor ao sol entre 10h e 16h! A orientação médica é válida para bebês, crianças e adultos! Sem isso, não adiantar reclamar que o protetor não funcionou e que a pele está ardendo.

Sol / bebês na praia