Max Rosenmann

Em toda a trajetória de duas décadas de vida dedicada à causa pública e à promoção da justiça social, sempre tive em mente a importância da proteção e da valorização do papel da família como unidade essencial para o desenvolvimento da sociedade humana. Acredito firmemente que, independente de costumes, hábitos ou cultura, a família deve ser mantida e preservada, pois ela guarda os instrumentos básicos para a consolidação dos valores essenciais para a evolução da humanidade. Refiro-me, é claro, ao conceito geral de família, sem imposições de modelos, e respeitando as peculiaridades e particularidades da cultura de cada povo e nação.

No Brasil, o empobrecimento de grandes contingentes populacionais, mais do que a perda dos meios de subsistência, provoca um mal maior, que é o enfraquecimento dos valores morais familiares, do respeito aos conceitos de convivência social, dos ideais de vida. Quem é empurrado para a marginalidade por fatores sociais dificilmente é capaz de defender e alimentar ideais, e muitas vezes acaba sendo jogado a essa condição por conta da falta de formação resultante de um ambiente familiar conturbado. Lamentavelmente, vivemos em uma época em que grande parte dos jovens perdeu as referências éticas e morais. E por não terem a menor idéia do que significa constituir uma família – até porque não tiveram uma – crescem sem perspectivas.

Por isso, defendemos e trabalhamos com todas as nossas forças para fazer todo o possível pela família, não somente no Brasil, mas em todo o mundo. Pois o papel que a família tem envolve um conceito sem fronteiras. Felizmente, nossos esforços deram frutos, na forma de mais de 1,5 mil obras espalhadas por toda as regiões do Paraná, e que nos credenciaram a receber, em 2002, o prêmio da Organização Mundial da Família – filiada à ONU – pelo trabalho em favor da promoção social e da defesa da família. São obras que não só levam recursos e projetos, mas principalmente dão às pessoas oportunidades, através, por exemplo, do acesso ao ensino de qualidade, ao bom atendimento em saúde, à formação profissional e ao crédito para pequenos empreendimentos. Por isso, considero esse prêmio um dos maiores marcos da minha vida, e um grande estímulo para continuar lutando pelo sonho de dar a cada família as condições e oportunidades para que ela possa levar uma vida digna e gerar um futuro mais feliz. E dando seqüência à nossa parceria com a OMF, participaremos nos próximos dias 6 a 9 de dezembro de uma conferência mundial da organização na China, onde certamente teremos a oportunidade de trocar novas experiências e buscar apoio para continuar esse trabalho.

A paz no mundo depende da proteção e do estímulo ao fortalecimento da família, pois quem não tem a oportunidade de conviver e receber uma boa formação familiar não tem como entender o conceito de paz. Que todos os homens de boa vontade desse mundo possam compreender isso, fazendo um esforço de união em torno da defesa dos valores familiares para o engrandecimento e crescimento da humanidade.

Max Rosenmann é deputado federal – PMDB/PR.