Quem tem cachorro ou gato em casa sabe que tirar uma linda foto do pet, na maioria das vezes, não é uma missão nada simples. Seja pela agitação, curiosidade ou falta de paciência do animalzinho, conseguir a imagem perfeita costuma levar tempo e muitos cliques.

Mas com as dicas dos fotógrafos Cristiana Nadalin e Rodrigo Capuski da Nadalin Fotografias, que participaram da Dog Weekeng no último fim de semana, suas fotos podem ficar incríveis. Confira!

1.Ter uma câmera por perto: Os tutores são as pessoas que mais conhecem seus pets, então, ter sempre uma câmera por perto é uma boa dica para pegar os momentos especiais, sem que eles se distraiam. Como hoje temos boas câmeras nos celulares, isso costuma ser possível.

+ Leia mais: 10 dicas para deixar seu cachorro mais feliz

2. Nível dos olhos: Abaixar ou levantar a câmera ao nível dos olhos do animal é outra sugestão. Assim, o incluímos na cena, no mesmo plano em que eles estão.

View this post on Instagram

Tá perdido e não quer pedir informação? 🙈

A post shared by Nadalin Fotografia (@nadalinfotografia) on

3. Concentração: Quando os bichinhos não são adestrados, nós tentamos chamar a atenção deles com algum barulho, movimento ou petisco e com a câmera já preparada, fazemos o clique. Se precisar, repetimos o processo.

4.”Paradinhos”: Caso o tutor queira alguma foto mais parada, recomendamos brincar bastante com o animal, para gastar a energia do bichinho e então, tentar o clique.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

5. Com personalidade: O fato de o animal estar parado e posando para a foto nem sempre é sinônimo de clique perfeito. Mostrar a personalidade do bichinho e conseguir transmitir isso na foto é o que consideramos o clique perfeito.


Os fotógrafos Cristiana Nadalin e Rodrigo Capuski e suas cadelinhas Leica e Olívia.
Foto: Divulgação/Nadalin Fotografias

6. À vontade: O melhor é fazer a foto onde o pet e o tutor se sintam mais à vontade e em segurança. Nosso estilo de fotos é bem natural, gostamos de pegar a interação das pessoas com os animais.

7. Em casa ou ao ar livre? Se não é seguro sair com o animalzinho, melhor ficar em casa, para que as fotos não transmitam essa tensão da preocupação. O que muda nestas situações é que fotos dentro de casa não dependem diretamente do tempo no dia. Em Curitiba, como chove muito, muitas vezes temos que remarcar o ensaio. Já em locais externos, temos mais opções de cenas, na maioria das vezes.

+ Leia mais:Cachorro ronca? Saiba o que pode causar tanto barulho!

8. Ajuste da câmera: Tudo depende do estilo que a pessoa gosta de ter na hora das fotos. A melhor dica que podemos dar é tentar sempre ter um foco rápido e uma velocidade rápida de obturador, o que não é controlável em celulares, por exemplo. Com essa configuração, as chances das fotos saírem borradas e sem foco diminuem muito.

9. Evite! Procure evitar fazer qualquer coisa com a qual seu animal não esteja acostumado ou que deixe o pet com medo. Essas atitudes podem acabar com a fuga do animal, entre outras consequências ainda piores.

+ Leia mais: Ranking revela os nomes de cachorro preferidos pelos brasileiros em 2018

10. Segurança em primeiro lugar: Se seu cão não obedece aos seus comandos, para ficar junto ou voltar para perto, melhor não deixá-lo sem guia e coleira. Já se o pet tem medo de lugares muito cheios e barulhentos, opte por um ensaio em casa. E nunca saia com seu animal de estimação sem uma coleira de identificação, com seus dados ou do tutor do pet.

Quer contar uma história com seu pet, sugerir um tema ou publicar a foto de um animal disponível para adoção? Escreva pra gente: animal@tribunadoparana.com.br

Adoção responsável


Toquinho é um cão adulto de porte pequeno, que já está castrado e vacinado. Calmo e tranquilo, ele espera por uma família e um lar amoroso. Para adotá-lo fale com a Carol (41) 99981-6052 ou com a Camile (41) 99643-6204.
Foto: Divulgação/ Grupo Adote com Consciência