Como pode uma novela que não fez tanto sucesso de audiência ser uma das mais aguardadas no Viva? Elencamos dois fatores para essa expectativa criada pelo remake de Selva de Pedra (1986), de Janete Clair, exibida de segunda a sábado, às 14h30. O primeiro deles é a Fernanda Torres – sim, ela mesma! -, que interpretava a mocinha Simone na trama. 

Além de filha de Fernanda Montenegro, a jovem atriz era a grande aposta da Globo porque fazia muito sucesso no cinema nacional, com filmes premiados no exterior. Não deu certo e ficava evidente o desconforto dela no papel, que na versão original de 1972, era defendido por Regina Duarte, na época, considerada a “namoradinha do Brasil”. 

+Leia também: Telefonema encerra polêmica entre Tatá Werneck e Chrystian e Ralf

Fernanda acabou se destacando mesmo depois, com personagens de humor em séries, filmes e novelas. Outro fato que chama a atenção é que o remake de Selva de Pedra veio logo em seguida a Roque Santeiro, trama de Dias Gomes, um dos maiores sucessos de audiência e que também estava numa segunda versão, já que a original, de 1975, foi censurada pela ditadura militar e nunca foi exibida. 

A Globo tentou aproveitar a onda dos remakes e fazer de Selva de Pedra se tornar mais um campeão de audiência. Não deu certo, talvez porque a expectativa na sucessora de Roque Santeiro tenha sido muito alta. Agora, quase 35 anos depois, tem muita gente curiosa para saber o que faltou ao remake de Selva de Pedra, que, aliás, jamais foi reprisado antes.

No entanto, o grande destaque da novela, sem dúvida, é vilã dark Fernanda, interpretada por Christiane Torloni. Depois de ser abandonada no altar por Cristiano (Tony Ramos), Fernanda, sempre com roupas pretas para simbolizar seu luto pelo casamento não ocorrido,  torna a vida do rapaz um tormento completo. 

Destaque da novela, no entanto, era personagem de Christiane Torloni, a vilã dark Fernanda. Foto: Divulgação/TV Globo