Quando um paciente obeso recorre a um exame radiológico, toda a rotina preparada para os exames deve sofrer adaptações para que ele seja devidamente acomodado, assegurando a precisão dos resultados. De acordo com o radiologista Marcelo Secaf, a análise dos exames de imagem dos pacientes obesos, além de dar mais trabalho, exige um maior conhecimento do profissional encarregado dos exames. Sem contar o maior tempo de duração dos mesmos.

O exame mais procurado é a  tomografia computadorizada, pois consegue maior precisão do que os raios X e apresenta menor risco ao paciente do que a ressonância magnética. O médico adianta que, embora a tomografia computadorizada se apresente como a opção mais indicada, na hora de solicitar o exame, vale a pena o paciente indagar sobre as condições do aparelho. Devido à sensibilidade exigida por tal exame, aparelhos descalibrados podem proporcionar imagens ?distorcidas?, que certamente vão prejudicar o diagnóstico.

Além de a obesidade ser um problema que incomoda o próprio paciente, a doença também costuma trazer uma responsabilidade a mais para médicos e clínicas de diagnóstico por imagem. O médico radiologista deve redobrar a atenção e os cuidados ao examinar tais pacientes. Também os aparelhos utilizados devem passar por manutenção mais freqüente, a fim de garantir o resultado dos exames.