Paulo Cubali, professor de Oclusão DTM.

Cerca de 10% da população pode apresentar sintomas da Disfunção Têmporo-Mandibular (DTM), dos quais 5% precisam de tratamento. Oitenta por cento dos casos são identificados em mulheres. A DTM é uma enfermidade que afeta os músculos da mastigação e das estruturas associadas. Hábitos como apertar ou ranger os dentes, mascar chicletes, roer unhas ou morder objetos podem levar a algum tipo de DTM.

Segundo o professor de Oclusão DTM e Dor Orofacial da Universidade Federal do Paraná e UnicenP, Paulo Cunali, entre os sintomas estão dor na articulação ou musculatura, dor de cabeça, estalos na mastigação, dificuldades para mastigar, abrir e fechar a boca, e a alterações da mordida. Cunali explica que as mulheres estão mais susceptíveis ao problema devido a taxa hormonal. “Mas a DTM também pode aparecer depois de um trauma ou alterações importantes da oclusão”, falou.

O tratamento da doença vai depender da complexidade do caso, já que a disfunção é classificada como leve, moderada e severa. Ele pode ir desde o aconselhamento para a mudança de postura, uso de próteses ou aparelhos ortodônticos, até cirurgias.

Encontro

As implicações e tratamentos da DTM serão discutidos durante o I Encontro Internacional sobre Dor Orofacial e Disfunção Têmporo-Madibular, que acontece dias 28 e 29 de maio em Curitiba. O evento contará com a presença de cirurgiões dentistas, médicos e fisioterapeutas, que estarão atualizando as informações científicas na área.