O nascimento do primeiro dentinho é sempre um grande momento para o crescimento e desenvolvimento do bebê e, geralmente, um motivo de muita alegria para os pais, mas também de certo desconforto para o bebê. O odontopediatra Hugo Robertson Sant?anna lembra que alguns distúrbios podem ocorrer neste período. ?Poderão ocorrer alguns sintomas, como coceira e abaulamento da gengiva, com aumento da salivação, estado febril, e até as fezes podem ficar mais líquidas?, esclarece. Para ajudar o rompimento dos dentinhos e melhorar esse desconforto, o especialista sugere que se ofereça aos bebês alimentos mais duros e mordedores de borracha para massagear a gengiva.

Alguns pais ainda têm dúvidas sobre a importância dos dentes de leite e muitas vezes mostram total descuido com a dentição das crianças. Não é tão difícil pais não se preocuparem com eles, achando que ?se vai cair mesmo, pra que cuidar?. Os especialistas explicam que a presença dos dentes de leite é muito importante para preparar o caminho (guia) para a erupção dos dentes permanentes, mantendo-os em equilíbrio harmônico, proporcionando uma mastigação e deglutição adequada dos alimentos e conseqüente digestão. ?Um dente de leite comprometido seriamente por um processo de cárie poderá levar a uma infecção, acarretando a má formação do dente permanente?, observa Sant?anna.

Pouco açúcar

Além disso, em muitas crianças com dentes de leite mal cuidados têm a sua aparência estética comprometida, fato que, em muitos casos, causa dificuldade de comunicação e integração social. ?Por isso, a higiene bucal exige atenção adequada desde antes do nascimento do bebê?, adverte a odontopediatra Márcia Regina Martins. É na gestação que a mãe pode tomar alguns cuidados que beneficiarão a saúde dos dentes da criança para sempre. Em primeiro lugar, ela deve manter uma boa alimentação, balanceando proteínas, fibras, cálcio, etc. ?Um dos principais cuidados que a mãe deve tomar quanto à higiene bucal do bebê desde o seu nascimento, é evitar adoçar em excesso os chás, mamadeiras e sucos com açúcar refinado?, avalia a especialista. A recomendação é usar, preferencialmente, mel ou açúcar mascavo. De acordo com a odontopediatra, a mãe deve saber que o bebê não faz escolhas de alimentos pelo paladar, portanto, é uma boa hora para se acostumar com alimentos sem a adição de açúcar.

Mesmo antes de os dentes de leite surgirem é preciso limpar bem a boca e a gengiva para retirar resíduos de leite e do ácido natural produzido pelo organismo. A higiene deve ser feita pela própria mãe, com algodão ou gaze embebida em água filtrada ou fervida, sempre após as mamadas. ?Ao aparecerem os primeiros dentinhos, o procedimento precisa continuar, e desta vez, com mais atenção, utilizando-se escovas com cerdas macias?, observa Márcia Martins. Como está quase na hora de se inicia a escovação, os dentistas recomendam que as mães recebam orientações sobre a melhor forma de realizar a higiene bucal da criança.

Dentição definitiva

Nas brincadeiras do parquinho, Marcelo, de 3 anos, bateu com o rosto no escorregador. O resultado, além do choro e de alguns dias sem poder se alimentar direito, foi um traumatismo na raiz de um molar inferior. Lara, de dois anos de idade, caiu e quebrou os dois dentinhos ?da frente?. Por descuido, seus pais só se preocuparam quando o que restou deles começou a escurecer.

Para estes casos, a recomendação de Hugo Sant?anna é de que os pais procurem sem demora um odontopediatra, para o exame e radiografia da região atingida e a pronta avaliação do caso. ?Se houver trauma, o ideal é guardar o fragmento em soro fisiológico, para tentar o procedimento clínico de colagem?, lembra o dentista.

Cuidar dos dentes de leite é garantir a qualidade dos que nascerão quando estes caírem. Os primeiros dentes servem de referência para os permanentes. Ou seja, se estiverem cariados, tortos ou quebrados poderão comprometer a qualidade de seus sucessores. ?Outra função fundamental dos dentes de leite é estimular o crescimento adequado dos ossos da face, garantindo espaço suficiente para os da próxima fase?, ressalta Márcia Martins.

Combate à cárie

É importante lembrar que a cárie é uma doença que afeta cerca de 90% da população mundial. Suas causas estão relacionadas ao próprio dente, à placa bacteriana e à alimentação (açúcar). Ocorre uma desmineralização da superfície dental – esmalte, e a seguir uma perda da própria estrutura – dentina, podendo levar ao comprometimento do complexo pulpar – sangue e fibra nervosa que mantêm a vida do dente. Portanto, a melhor maneira de garantir dentes saudáveis é prevenir e lembrar que uma boa dentição infantil certamente vai influenciar positivamente na dentição definitiva.

Uma boa prevenção é levar a criança ao dentista por volta dos dois anos, mesmo que esteja tudo bem.

Grande parte dos dentes tortos ou defeitos de crescimento dos maxilares podem ser identificados e tratados desde a dentição de leite. O dentista conta com o crescimento natural da criança para ajudar seus aparelhos a corrigir os defeitos.

A aplicação de flúor no consultório dentário deverá ser iniciada já na dentição de leite (dentição decídua), assim que esta esteja completa por volta de 2 anos e meio a 3 anos de idade. 0 flúor é um dos agentes importantes na redução da cárie dentária. Em conjunto com outros métodos de prevenção, tais como escovação e dieta equilibrada, além do consumo de água fluoretada, pode ajudar na qualidade da saúde bucal até a idade adulta.

Chupeta até os três anos

A chupeta ou a sucção do dedo leva a um desequilíbrio das arcadas dentárias e à má posição dos dentes.

O hábito deverá ser interrompido por volta dos três anos de idade, quando a criança já está consciente de suas vontades e não requer mais a compensação de sugar. Portanto, devemos encorajá-la a deixar o hábito, sendo, às vezes, uma troca agradável e consciente.

A retirada do hábito de sucção do dedo requer mais consciência por parte da criança, força de vontade e sua colaboração, que poderá acontecer um pouco mais tarde. Nos casos mais severos, a avaliação de um psicólogo pode ser recomendável.