Denise Bárbara
 

A partir de certa idade, a pele começa a dar sinais de cansaço, sofrendo com a diminuição gradativa do colágeno, substância que dá sustentação à pele. Com o passar dos anos, esse processo provoca a flacidez cutânea. Hoje em dia, chega a ser natural que nessa fase da vida as pessoas, principalmente as mulheres, pensem em passar por uma cirurgia plástica a fim de corrigir a flacidez facial e de pescoço, que tanto as incomoda.

Afora os procedimentos corretivos, a ciência e a indústria buscam métodos que cheguem mais próximo das causas do envelhecimento da pele, mais precisamente as fibras de colágeno. Nesse sentido, um tratamento cujo nome comercial é ThermaCool, que utiliza ondas de radiofreqüência, é um dos mais procurados por atingir as camadas mais profundas da pele.

Não tem como fugir dessa dura realidade: quem tem esse desconforto sabe que essas marcas só são atenuadas com peelings bastante profundos e abrasivos e, mesmo assim, nem sempre o resultado é o esperado. Para esses casos é que se consolida o uso do ThermaCool.  O princípio é simples: enquanto o peeling de fenol profundo rejuvenesce a pele, as ondas de radiofreqüência conseguem nivelam tais marcas, fazendo com que a célula se renove sem sofrer nenhuma lesão. ?A maior vantagem é que tudo isso é conseguido sem cortes, lesões, queimaduras ou marcas no local tratado?, exalta a alergista Denise de Souza Bárbara, especializada na técnica.

Todos os tipos de pele

Conforme a médica, a liberação da energia por ondas eletromagnéticas promove duas situações na pele: uma imediata, que é a contração das fibras colágenas, dando à pessoa uma sensação de repuxamento, e outra mais tardia, por meio de um potente estímulo para a formação de um novo colágeno, que persiste ao longo de seis meses, após uma única aplicação. ?Além de dar mais firmeza à pele, a técnica renova os contornos corporais e restaura a saúde do colágeno?, afirma.

Após esses seis 6 meses, a duração do resultado varia de acordo com cada caso, podendo persistir por cerca de 2 anos após a aplicação. Denise Bárbara recomenda o uso da radiofreqüência uma vez por ano, salientando que o tratamento é indicado para todos os tipos de pele. O tratamento é feito em consultório sob anestesia tópica (uso de creme anestésico) e dura cerca de 45 minutos. Logo após a aplicação, a sensação de aquecimento da pele desaparece. A pele fica apenas rosada, não impedindo a pessoa de voltar às suas atividades diárias.

Avaliação especializada

A médica garante que a melhora da qualidade da pele é perceptível em quase 100% dos casos. ?Pacientes que se submeteram ao tratamento relatam que seus olhos ficaram mais abertos e levantados, especialmente na área das sobrancelhas?, comenta.  O ThermaCool, nome comercial do aparelho que possibilita a radiofreqüência, é aprovado pelo FDA (órgão que controla medicamentos e alimentos nos EUA) desde 2002 para tratamento da flacidez da face e pescoço, como também para redução das rugas e dos sulcos da face. Já existem trabalhos em andamento para controle da acne ativa e de sua cicatrizes, como também para flacidez dos braços e barriga. A médica Denise Bárbara, no entanto, lembra que só a avaliação de um especialista em estética médica pode determinar as melhores opções de tratamento, que serão discutidas com o paciente antes que qualquer procedimento seja realizado.

Onde o ThermaCool traz mais benefícios

* Flacidez da pele facial.

* Flacidez da pele do pescoço.

* Rugas periorbitais e frontais.

* Elevação das sobrancelhas.