A Embaixada da Irlanda no Brasil lembra que os estudantes brasileiros que desejarem estudar no país não necessitam de visto para viajar. Eles precisam apenas se apresentar ao agente do serviço de imigração no momento de sua chegada ao aeroporto, apresentando evidências e declarando os reais motivos que o levaram a estudar e permanecer temporariamente na Irlanda.

Com essa facilidade, jovens brasileiros estão procurando a Irlanda em número cada vez maior para aprender inglês e trabalhar, sem precisar de tanta burocracia para entrar no país.

Segundo dados do departamento de turismo irlandês, cerca de 2.950 alunos brasileiros procuraram instituições irlandesas no ano passado para estudar inglês, sendo esse número 3,5 vezes mais que o registrado no ano anterior, com apenas 800 interessados. A imigração irlandesa calcula que o número já está em mais de 7 mil para este ano.

Para o vice-presidente do Instituto Brasil-Irlanda e consultor de educação no Brasil para a Irlanda, Peter O’Neill, o aumento de brasileiros interessados em estudar no país deve-se às oportunidades educacionais oferecidas para estrangeiros, pela qualidade, pelo custo e pela diversão, não somente na área de cursos de inglês, mas também em cursos técnicos, de graduação e pós-graduação, além de não precisar de visto.

“A Irlanda está promovendo cursos em tecnologia da informática, marketing, administração de negócios, (MBA), medicina e outros, como inglês para negócios, aumentando o interesse dos estrangeiros em se atualizar nestas áreas”, revela o consultor.

Hoje existem no país cerca de 150 mil estudantes estrangeiros em cursos de inglês e 20 mil em educação superior. Grande parte está concentrada em Dublin, a capital do país, que recebe mais de um milhão de turistas por ano.

A grande procura é para cursos que dão direto ao trabalho com 20 horas por semana ou 40 horas durante as férias escolares, e que são de período integral de 15 horas por semana e de pelo menos 25 semanas de duração.

Para os interessados em ingressar na Irlanda, Peter O’Neill revela que existem vantagens proporcionadas pelo governo irlandês para os brasileiros. “Na compra de produtos nas lojas irlandesas ‘tax-free’ , os brasileiros recebem o imposto de volta ao sair do país, representando um desconto em torno de 17% dos gastos programados. Além disso, os estudantes também têm descontos nos transportes públicos.”

Para o consultor, o fundamental é que o estudante se prepare e se informe muito bem antes de tomar a decisão da viagem. Consultar amigos e parentes que já foram pra lá é importante, tornando a viagem mais segura.

É importante ficar sempre atento também às mudanças nas regras e nos critérios para a entrada de estudantes estrangeiros no país, pois elas sofrem alterações.

Para mais informações, recomendam-se os sites de Educação na Irlanda – www.educationireland.ie e Ligações entre Brasil e Irlanda – www.visiteirlanda.com, que publica um guia completo em português sobre como estudar e trabalhar no país.

Para conhecer Dublin

Divulgação
“Guia da viagem perfeita.”

Embora Dublin seja uma cidade compacta, mais de um quarto dos quase quatro milhões de habitantes da República da Irlanda mora na cidade. Com uma população jovem e qualidade de vida considerada uma das melhores do mundo, a capital irlandesa é o destino de muitos estudantes estrangeiros.

Para os turistas conhecerem e aproveitarem ao máximo da cidade, a série de guias Rough Guide Directions, editada pela Publifolha no Brasil, tem o guia Dublin. Neste guia o leitor vai encontrar as atrações imp,erdíveis e os melhores bares, restaurantes, lojas, cafés e hotéis oferecidos em cada bairro da cidade.

Na seção Destaque, há opções de passeios, visitas e atrações para as 24 horas do dia – tudo indicado em mapas detalhados para uma viagem tranqüila e bem planejada. Para facilitar a consulta, o guia tem índice colorido e a seção Área por Área, que divide a cidades entre as regiões e bairros mais importantes para se visitar.

O leitor encontra também informações sobre hospedagem -melhores hotéis e albergues, os principais pontos turísticos -museus, igrejas, mercados e lojas, transportes – quais os mais usados em cada região, serviços – moeda, telefones e endereços, festivais e eventos, a culinária local e um miniguia de conversação.

Serviço: Rough Guide Directions -Dublin – O guia da viagem perfeita, de Paul Gray e Geoff Wallis, Publifolha, custa R$ 39,90, e está à venda nas principais livrarias.