Guaraqueçaba:
Floresta Atlântica intacta.

Promover a soma de esforços das prefeituras, empresários e comunidades dos municípios com vocação consolidada para a atividade turística, com o objetivo de estimular a atuação de um setor que deverá conquistar, nos próximos quatro anos, uma posição de vanguarda. Esta é a intenção do governo do Estado em relação ao setor turístico, descrita pelo secretário estadual do Turismo, Cláudio Rorato. Ele acrescentou ainda que “a atitude do governo será de total apoio aos projetos de expansão da indústria do turismo no Paraná, conhecido em todo o País como um pólo de atração pela variedade de suas belezas naturais, cultura, gastronomia e compras”. “Essa realidade pode ser melhorada com a valorização da atuação profissional dos empresários do trade – agentes de viagem, operadores, hotelaria, alimentação e lazer -, que encontram das empresas transportadoras e no comércio em geral, complemento indispensável para que o crescimento esperado seja obtido”, observou.

O secretário informou também que sua equipe técnica está coletando dados para a elaboração da política estadual de turismo, da qual deve surgir um plano diretor capaz de orientar a ação dos municípios com potencial para a atividade turística, com o objetivo de atender os setores que podem contribuir para o desenvolvimento econômico.

A atividade turística é hoje priorizada pelos países desenvolvidos, que têm na captação de divisas externas uma forma de melhorar o desempenho da economia. “Um estado privilegiado em recursos naturais como o Paraná não pode abrir mão do fomento de uma fonte permanente de geração de riquezas e, tampouco, tratar um setor tão importante como a indústria turística com uma visão menor,” disse.

O secretário adiantou que pretende manter uma série de encontros com as entidades que integram o trade, a fim de ouvir as queixas e verificar quais são as principais sugestões e as novas idéias que contribuirão para tornar mais otimista a ação de governo e o desempenho das empresas.

Equação simples

Rorato lembrou que a equação é relativamente simples, “já que de um lado há pessoas com capacidade aquisitiva, querendo conhecer outros lugares e com tempo para fazê-lo e, do outro, que é o nosso, um território pontilhado de atrações naturais e históricas como o litoral, a Mata Atlântica e a Serra do Mar, o santuário ecológico de Guaraqueçaba e do Superagüi, Vila Velha e os Campos Gerais e, acima de tudo, as Cataratas do Iguaçu, o Parque Nacional e a Usina Hidrelétrica de Itaipu”.