No dia 4 de maio, a Lua nasce eclipsada na maior parte do território brasileiro. No Rio de Janeiro e cidades vizinhas, onde a Lua nasce às 17h21min, exatamente 13 minutos antes do meio do eclipse, será possível visualizar a fase mais bela e interessante para os observadores: o meio da totalidade. É o momento culminante do eclipse que vai ocorrer às 17h30min. Neste momento, durante o qual a Lua está no interior, próximo à parte central do cone de sombra que a Terra projeta no espaço, a Lua se apresenta com uma tonalidade avermelhada-escura, provocada pela difusão da luz solar nas altas camadas da atmosfera terrestre. Se considerarmos os efeitos provenientes da ilusão lunar, segundo a qual a Lua parece maior próxima ao horizonte, poderemos contemplar a vista desarmada um fenômeno de indizível beleza: uma enorme Lua de cor de tijolo nascendo no horizonte. É muito raro estar na região que permite contemplar a Lua nascer eclipsada especialmente se o céu estiver limpo.

Ao contrário do que ocorre com os eclipses do Sol, cuja observação exige o uso de filtros especiais, o eclipse total da Lua pode ser observado a vista desarmada, sem nenhum risco, mesmo através de um binóculo ou telescópio. No entanto, o mais interessante de um eclipse lunar é observá-lo longe da poluição luminosa das grandes cidades sem nenhum instrumento, especialmente neste caso, tendo em vista a ilusão lunar.

Visibilidade nas capitais do Brasil

O eclipse total da Lua do dia 4 de maio só será observado em suas etapas finais, uma vez que a Lua irá nascer eclipsada na maior parte do território brasileiro. Em nenhum local do Brasil, as fases iniciais do fenômeno serão observadas.

Em Natal, João Pessoa, Recife, Maceió, Aracaju, Salvador, Fortaleza, Vitória, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, a Lua nasce eclipsada, ou seja, depois da entrada no cone de sombra, antes do meio do eclipse. Será possível acompanhar os momentos que antecedem o meio da totalidade até o final do eclipse.

Em São Paulo, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Teresina e São Luís, a Lua nasce eclipsada, cerca de 4 minutos depois do meio do eclipse. Será possível observar o fim do eclipse total e as fases finais.

Em Brasília, Goiânia, Manaus, Cuiabá, Campo Grande, Porto Velho, Macapá, Boa Vista, Belém e Palmas, a Lua ao nascer estará cerca de 20 minutos do meio do eclipse, ou seja, praticamente saindo do cone da sombra da Terra.

Em Rio Branco e no extremo oeste do Amazonas será possível observar somente o fim do eclipse.

Este eclipse total será visível na Antártica, Austrália, Nova Guiné, Indonésia, ilhas Filipinas, Ásia (exceto o nordeste), África, Europa (exceto o extremo norte), extremo leste da América do Sul.

O próximo eclipse total da Lua será visível no Brasil, na noite de 27/28 de outubro de 2004. O último eclipse total da Lua visível no Brasil ocorreu na noite de 8/9 de novembro de 2003.

Circunstâncias do eclipse para o fuso de Brasília:

Circunstâncias

Instantes em Hora

 

Legal de Brasília

Entrada na penumbra

04d 14h 50min 43s

Entrada na sombra

04d 15h 48min 10s

Início do eclipse total

04d 16h 51min 57s

Meio do eclipse

04d 17h 30min 06s

Fim do eclipse total

04d 18h 08min 17s

Saída da sombra

04d 19h 12min 05s

Saída da penumbra

04d 20h 09min 26s

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ronaldo Rogério de Freitas Mourão

é pesquisador-titular do Museu de Astronomia e Ciências Afins, do qual foi o fundador e primeiro diretor. Autor de mais de 70 livros, entre outros, “Anuário de Astronomia 2004”. Consulte a homepage: http://www.ronaldomourao.com