Vistos como aliados na hora de perder os quilos extras, cada vez mais os shakes são procurados pelas mulheres que querem emagrecer. Com cerca de 250 calorias por copo, esses produtos são comercializados em forma de pó e se tornam substitutos de uma refeição rápida quando acrescidos de leite. Mas será que esta bebida faz bem ao organismo? Com que frequência os shakes podem ser incluídos na rotina de alimentação? Para entender melhor estas questões, o TDelas buscou informações com especialistas em saúde e com quem fabrica o produto.

Para a endocrinologista do Hospital Vita Daniele Zaninelli, este tipo de rotina alimentar restritiva pode ser prejudicial, sob o ponto de vista nutricional e social. “Ao trocar uma refeição pelo shake, a mulher pode perder o momento tão especial que é estar à mesa com sua família. Além disto, estas dietas radicais podem gerar um tipo de sofrimento, pela privação de nutrientes e de convívio com outras pessoas na hora das refeições”.

De acordo com a médica, uma mulher precisa consumir em média 2000 calorias por dia. Quem quer perder peso pode consumir cerca de 1200 a 1400 calorias diárias, mas nem sempre as mulheres seguem estas orientações. “Muitas delas chegam ao consultório com a queixa de que já tentaram todas as dietas possíveis. Ao fazer regime por conta própria, sem orientação de um médico ou nutricionista e sem mudar aos hábitos de vida, como incluir exercícios físicos na rotina, elas nunca alcançam os resultados desejados, de forma duradora”.

No tratamento para emagrecer, Daniele lembra que é necessário realizar exames laboratoriais para detectar alguma carência de vitamina e também elaborar um plano alimentar adequado, personalizado para cada paciente. “Ao trocar muitas ou todas as refeições pelo shakes, a pessoa pode ficar com carência de vitaminas e minerais como a A, B12, D, ferro e zinco, resultando em problemas como a anemia. Mas com o plano alimentar, se preciso, o médico pode indicar o uso de shakes. Temos algumas opções confiáveis no mercado, inclusive para diabéticos, mas entre os produtos vendidos, nem todos oferecem as vitaminas e nutrientes necessários ao organismo”.

Preocupada com a saúde e o bem-estar de suas pacientes, a nutricionista Luciane Gonçalves de Lima, conselheira do Conselho Regional de Nutricionistas do Paraná, é contra o uso dos shakes. “Eu não aconselho o uso desses produtos, por serem alimentos industrializados e muito processados, repletos de composto químicos. Como nutricionista, indico uma alimentação saudável e equilibrada, com alimentos tradicionais, legumes, verduras e frutas”. Além disto, segundo ela, para saber se um alimento é bom para o organismo, basta seguir a regrinha da vovó: “uma brincadeira que diz para não comer o que sua avó não reconheceria como comida”.

Sobre a troca da comida normal pelo shakes, Luciane diz que esta atitude nem sempre favorece o emagrecimento. “Se tiver que escolher entre tomar um shake ou comer um prato de comida com a mesma quantidade de calorias, prefira a comida. Os alimentos sólidos darão mais saciedade e gastarão mais energia para serem digeridos. Assim, dependendo do for ingerido, a alimentação tradicional se confirma como a que mais emagrece”.

Existem benefícios?

Polêmicos, os shakes têm muitos fãs, entre eles, a apresentadora da Rede TV! Luciana Gimenez. A apresentadora, que é garota-propaganda de uma marca que fabrica esses produtos, está visivelmente cada vez mais magra. Mas sua alimentação causa divergências. Na última segunda-feira, ela teria passado mal em seu programa, o que gerou especulação se seria fraqueza causada pelas dietas.

Mas apesar de não ser recomendados por parte dos médicos e nutricionistas, segundo os fabricantes, os shakes podem ser benéficos no processo de emagrecimen,to, se usados da forma correta. De acordo com a nutricionista da Nutrilatina Daniella Tolari, “os shakes emagrecedores são fórmulas substitutas de refeições que facilitam a redução de ingestão calórica, que resulta na redução de peso sem prejudicar a saúde”.

Como indicação de consumo, Daniella diz que “os consumidores podem substituir até duas refeições diárias pelo shake, sendo café da manhã e almoço ou café da manhã e jantar, sem tempo determinado para o fim da dieta”. Daniella afirma que, ao substituir duas refeições diárias por shakes, o benefício é o emagrecimento eficiente e de maneira saudável. “Por ser um alimento, o produto não provoca efeitos colaterais e reações adversas, além de não ter contraindicações”. Sobre as vitaminas e nutrientes, ela diz que “uma dose de shake contém a concentração adequada e equilibrada de todos os nutrientes e equivale a uma refeição saudável e balanceada”.