Muito pais aguardam ansiosos pela chegada de uma vacina contra o novo coronavírus, capaz de imunizar as crianças e todo o restante da família. Enquanto isso não acontece, autoridades de saúde pedem que as crianças recebam todas as demais vacinas obrigatórias para suas faixas etárias. No Paraná, estado onde os índices de vacinação infantil são os piores da década, as famílias já estão sendo convocadas para a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação, que foi antecipada para o dia 28 deste mês, uma semana mais cedo que o resto do Brasil.

LEIA MAIS – Quadro atual da pandemia em Curitiba força Colégio Militar a adiar volta às aulas

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (18) pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), e o objetivo, segundo a pasta, é colocar em dia a Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente dos menores de 15 anos de idade. “O Paraná está ampliando o período das campanhas para que os pais tenham mais oportunidade de levar os filhos aos locais de vacinação. Antecipamos o início mas seguiremos até o dia 30 de outubro, conforme o calendário nacional”, disse o secretário da Saúde, Beto Preto. “Entendemos que durante a pandemia as ações de imunização devem ser reforçadas, pois as vacinas protegem contra várias doenças e salvam vidas”, acrescentou.

LEIA AINDA – Menos crianças estão sendo diagnosticadas com câncer em 2020 e isso não é uma boa notícia; entenda!

Segundo a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes, serão duas campanhas em uma. “Faremos uma grande ação que envolverá profissionais da Vigilância Epidemiologia e da Atenção Primária”, disse. De acordo com a diretora, a estratégia visa a atualização da caderneta de vacinação das crianças paranaenses. “Neste período de pandemia, muitos pais deixaram de levar os filhos nos postos, então este é o momento de deixar em dia a situação vacinal”, afirmou.

Multivacinação e Pólio

A Campanha Nacional de Multivacinação oferta vários tipos de vacinas para crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade, como:

  • BCG: previne as formas graves de tuberculose;
  • Pentavalente: protege contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e influenza B;
  • Rotavírus humano: contra a diarreia;
  • Pneumocócica 10: contra a pneumonia meningite e otite;  
  • Meningocócica C e ACWY: que previnem contra meningites;
  • Tríplice viral: contra sarampo, caxumba e rubéola;
  • Vacina contra a varicela;
  • Vacina HPV: previne alguns tipos de câncer em jovens; 
  • Vacinas da hepatite A e hepatite B
  • Vacina contra a febre amarela

Já a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite é dirigida a crianças de 12 meses a menores de 5 anos de idade. A população estimada no Paraná é de 583.962 crianças e a meta é atingir o índice de 95% de cobertura vacinal. Esta vacina é oral, com a aplicação de duas gotas em cada criança.

Segundo dados da Sesa, o Paraná não registra casos de pólio desde 1987, e o Brasil desde 1990. Em 1994 o país recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde a certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem.