O catador de papel Marcos da Silva, 31 anos, pai de quatro filhos,teria sido assassinado por engano, por traficantes. Ele foi morto a tiros no sábado, no quintal de sua casa, na Rua Eugênio Parolin, no bairro Parolin, para onde havia se mudado na sexta-feira.

De acordo com denúncias de moradores à Tribuna, o alvo dos criminosos seria o ex-morador da casa, que teria uma dívida com uma grande traficante da vila. A mulher, que já tem antecedentes criminais por homicídio, mandou um ex-presidiário matar o suposto devedor. Tal sujeito, ainda segundo a denúncia, teria sido preso por policiais da Delegacia de São José dos Pinhais, em novembro do ano passado, com pesado armamento. A mesma mulher teria custeado a defesa do criminoso, que conseguiu ganhar a liberdade a agora está aterrorizando a vila. “Ele anda com um Golf vermelho, modelo antigo, e com duas pistolas na cinta”, assegurou um denunciante.

Ex-maridos

Ainda de acordo com informações de moradores, a mulher seria a mandante da morte de dois ex-maridos e de várias pessoas no Parolin. Além de ter uma casa na favela, ela ainda mantém outra em São José dos Pinhais.

O nome da traficante e do matador foram informados à Delegacia de Homicídios. O superintendente César disse que irá tomar as providências necessárias. “Já temos o nome desta mulher que está sob investigação em vários casos ocorridos naquela região”, avisou o delegado Jaime da Luz.