O usuário de droga Gabriel Cantele, 23 anos, deixou o mutirão na igreja em companhia do sogro para se encontrar com o assassino, na tarde de ontem (01), na Rua Tenente Coronel Benjamin Lage, Vila Lorena, Uberaba. O homicídio aconteceu fora da área de atuação da Unidade Paraná Seguro (UPS). Investigadores da Delegacia de Homicídios acreditam que um traficante seja o autor do disparo.

A Polícia Militar recebeu uma ligação anônima por volta das 15h35, avisando sobre o crime. Quando a equipe do 20.º Batalhão chegou ao endereço informado, encontrou o rapaz morto na rua, com um tiro à queima-roupa na testa. Nenhum morador passou informações sobre a autoria do crime aos policiais.

Vício

Gabriel tinha um filho de 3 anos e morava na mesma região com a criança, a mulher e o sogro, Albino, que fez de tudo para tirá-lo do vício. “Três meninas avisaram minha filha que tinham atirado no Gabriel”, contou Albino. Pouco tempo antes, ele estava acompanhado do genro, num mutirão de uma igreja. “Ele estava trabalhando comigo, mas saiu de lá sem avisar para onde ia. Não imaginava que ele vinha para cá”, relatou o sogro.

“Eu o acolhi na minha casa, porque ele não se deu bem, morando com o pai dele. Minha filha gostava muito do Gabriel. A gente tentou de tudo”, disse. Para o investigador Nei, da Delegacia de Homicídios, tudo indica que Gabriel foi executado por um traficante.