Marilene, tia da menina de 14 anos que fugiu de casa na semana passada e presenciou a morte de Chales Robson da Silva, 25 anos, entrou em contato com o Paraná Online para esclarecer que a garota estava envolvida com más companhias.

Diferente do que foi publicado em 24 de agosto, a mulher informou que a menina não tem pai biológico registrado. Marilene contou que têm a guarda da menina e a cria com o esposo. A garota antes morava em um abrigo. A mulher disse que a fuga da menina nada tem a ver com o pai dela ser usuário de crack. Ninguém sabe o paradeiro dele.