A irmã de Cleverson de Almeida Acácio, 24 anos, entrou em contato com o Paraná Online e afirmou que o rapaz não era integrante do Comando do Extermínio, gangue que atua no São Braz, como foi publicado na edição de ontem. Cleverson foi baleado na Rua José Rubens de Lima, São Braz, na madrugada de sábado.

Josiane de Almeida Acácio também informou que o irmão não morava na casa em frente, onde foi baleado, mas sim na mesma rua. Disse também que a namorada de Cleverson não presenciou o crime e que Cleverson nunca foi preso.