Os muros altos, rodeados com cerca elétrica e o sistema de monitoramento eletrônico não impediram que uma quadrilha, formada por mais de oito pessoas, invadisse a agência do Banco Real, na Avenida Erasto Gaertner, no bairro Bacacheri, em Curitiba, e roubasse o dinheiro dos cofres.

Possivelmente na noite de sábado, os bandidos abriram um buraco de aproximadamente 45 centímetros de diâmetro na parede externa, no fundo da agência.

Depois de acessar o interior do banco, abriram um buraco pelo menos quatro vezes maior na parede da tesouraria. Em seguida, arrombaram os cofres usando maçaricos. Além do dinheiro, eles levaram um dos sistemas de segurança.

O crime só foi descoberto por volta de 8h de ontem, quando os funcionários chegaram para trabalhar. Nenhum gerente quis falar sobre o caso. A assessoria de imprensa do banco pronunciou-se através de nota oficial, confirmando apenas que a agência Bacacheri foi furtada e que não havia clientes e funcionários no local, no momento da ocorrência. Finalizou informando que está colaborando com as investigações.

Sem pistas

Uma vizinha à agência contou que ouviu os cachorros latindo e teve a impressão de ver um vulto, no estacionamento do estabelecimento, na noite de sábado. Policiais do 20.º Batalhão que estiveram no local confirmaram que, por medidas de segurança, o banco usa dois sistemas de monitoramento. Um interno – o levado pelos assaltantes – e outro externo.

A Delegacia de Furtos e Roubos esteve no local coletando alguns dados, mas as investigações acabaram ficando com o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), delegacia que, entre outras funções, cuida de crimes ligados à instituições financeiras. O primeiro passo deve ser o de estudar as imagens que restaram do sistema de monitoramento que não foi levado.