Nos próximos dez anos haverá aumento anual de 25% no número de assassinatos de jovens entre 15 e 24 anos, em Curitiba e região metropolitana. Em dez anos, aproximadamente 6,7 mil jovens nesta faixa etária foram assassinados e a projeção para 2019 é que em torno de 17,8 mil jovens nessa faixa de idade serão vítimas de homicídios, em Curitiba e região.

A projeção é do Instituto de Defesa de Direitos Humanos (IDDEHA) baseada na pesquisa Mapa da Violência 2011, feita pelo Instituto Sangari, a pedido do Ministério da Justiça.

Para a diretora do Núcleo de Pesquisa do IDDEHA e doutora em Sociologia, Marcilene Garcia de Souza, o aumento do homicídio entre jovens tem relação direta com a forma e construção das políticas públicas. Marcilene afirma que é preciso fazer mais investimentos em educação, segurança, saúde e emprego.

Para a doutora em Educação e professora do Curso de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Araci Asinelli da Luz, há uma crise de valores entre os jovens, desde a formação da família até a vivência da cidadania, há falta de oportunidades e ausência de uma escola de qualidade.