Presa dupla acusada de assaltar motoboys

Motoboys que circulam nas regiões da Cidade Industrial e Capão Raso têm encarado o medo durante seu trabalho. Diversos de casos de roubo foram registrados nos últimos 30 dias pela Polícia Militar e 11.º Distrito Policial, o que levou à uma investigação especial nos locais com maior incidência. Na tarde de terça-feira, dois suspeitos foram presos pela PM.

Segundo a polícia, os assaltantes observam a movimentação dos alvos e escolhem o momento certo de atacar. Pelo menos cinco motoboys prestaram queixa no 11.º DP no último mês, mas na maioria dos casos apenas a PM é alertada. “Sabemos que há uma dupla atuando com uma CG 125 azul”, disse o superintendente Jorge, do 11.º DP.

Três vezes

Uma das vítimas, um motoboy de 36 anos, relatou ter sido roubada três vezes nos últimos 30 dias na região do Parque Industrial, Capão Raso. Na primeira, dia 22 de março, dois homens de capacete levaram dinheiro e sua moto, abandonada em seguida; na segunda, dia 28, agiram um homem alto, de boné e óculos escuros, e dois comparsas que estavam de bicicleta; na terceira, em 4 de abril, o ladrão fugiu em outra motocicleta. “É quase certo que a mesma pessoa me roubou estas duas últimas vezes”, disse o motoboy.

O motoqueiro relata que os assaltos foram cometidos em armazéns e pontos de parada, e que em cada um teve prejuízo de R$ 400,00 a R$ 500,00. “Quase todos os dias ouvimos casos de companheiros roubados na região. Está complicado trabalhar”, lamentou a vítima.

Prisões

Às 14h30 de terça-feira, equipes do serviço reservado da Polícia Militar e do 13.º Batalhão detiveram Renílson Antônio de Oliveira, 28 anos, na Avenida Desembargador Cid Campelo, Barigui I, CIC. Ele recebeu voz de prisão por porte ilegal de arma, acusado de carregar e “dispensar” um revólver calibre 38. “Ele teria saído da casa de um indivíduo chamado “Lobão”. Ambos são suspeitos de agir juntos contra motoboys”, falou o superintendente. O acusado, que diz trabalhar como segurança, nega que a arma fosse sua e que tenha praticado qualquer assalto, além de afirmar que não conhece “Lobão”.

Na mesma rua, três horas mais tarde, um soldado do Batalhão de Polícia de Guarda à paisana flagrou o instante em que um motoboy de 24 anos era assaltado. Com um revólver em mãos, o ladrão tomou a pochete da vítima, contendo R$ 108,00 e as chaves da moto e fugiu a pé. O soldado, que também estava de motocicleta, seguiu o suspeito por cerca de 300 metros e repentinamente o abordou. O acusado, Édson Lopes da Silva, 32 anos, foi detido em flagrante e confessou o roubo. “Tinha acabado de comprar o revólver, vi o rapaz na rua e resolvi fazer essa burrice”, disse Édson, que trabalhava como almoxarife. Sem passagem pela polícia, o preso afirma que este foi seu primeiro assalto.

Na manhã de hoje, também na Rua Cid Campelo, policiais do 11ºDP detiveram João José Ribeiro de Lima. Ele estava transitando com uma motocicleta pela rua e foi reconhecido por investigadores. Como tinha um mandado de prisão expedido em seu nome, foi detido.

Algumas vítimas estiveram ontem no 11.º DP para fazer o reconhecimento dos suspeitos, mas o resultado foi negativo. De acordo com o superintendente, mais três motoboys devem comparecer hoje ao distrito para um novo reconhecimento.

Voltar ao topo