Os pais da criança que teria sido vítima de abuso sexual em uma creche municipal de Curitiba afirmaram, em depoimento, à polícia que ela foi molestada pelo funcionário suspeito. De acordo com a delegada Eunice Bonome, do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crime (Nucria), a menina contou aos pais detalhes do comportamento do suspeito.

“Precisamos da avaliação psicológica da criança, dos resultados dos exames feitos no Instituto Médico-Legal e do depoimento da funcionária que teria flagrado o professor em atitude suspeita para caracterizarmos o abuso”, disse Eunice. O depoimento dos pais foi colhido na terça-feira (16), mesmo dia que o crime foi comunicado à polícia.

Além de falar sobre o possível abuso, os pais confirmaram à polícia que só foram avisados abuso duas semanas depois de uma funcionária ter flagrado o educador com a criança. A delegada informou que, nos próximos dias, irá interrogar a funcionária e a diretora da creche para esclarecer se foram tomadas as providências necessárias.

“A escola faz parte de uma rede de proteção à criança. A partir do momento que ela toma conhecimento de suposto abuso, ela deve encaminhar notificação obrigatória para as autoridades competentes, como polícia, Conselho Tutelar, Ministério Público e Poder Judiciário. Até agora, não recebemos esse documento, o que não significa que ele não tenha sido feito e esteja em outro local”, explica a delegada.

Já o depoimento do suspeito só será colhido depois da avaliação psicológica da criança e do laudo do IML. O primeiro não tem prazo definido para ser entregue, já que depende da criança e do seu desprendimento junto às psicólogas do Nucria, e o segundo deve ser entregue à delegada em cerca de 15 dias.

Eunice afirma que é normal o suspeito ser ouvido apenas depois dos laudos. “Se o ouvíssemos antes de ter os laudos em mãos, ele teria que ser interrogado novamente, pois com esses documentos a situação pode mudar.” Ainda de acordo com a delegada, a investigação que está sendo feita pela Procuradoria Geral do Município sobre a conduta disciplinar do funcionário da creche, será solicitada para inclusão no inquérito que foi instaurado no Nucria.

“A Procuradoria está fazendo um processo disciplinar, para apurar transgressão disciplinar e funcional da conduta desse suspeito. Já na investigação da polícia estamos apurando um suposto crime, porém, para que fique mais completa iremos acrescentar o processo da Procuradoria”, conta.