“Ele foi morto a pauladas, como um animal. Urrou e gritou pela mãe, mas a gente não teve pena”. Com esta frase, um rapaz de 17 anos confessou, ontem à tarde, na delegacia de Fazenda Rio Grande, como ele e mais dois adolescentes, de 15 e 16 anos, mataram Claudinei Ribas, 24, usuário de drogas.

O corpo tinha sido encontrado pela manhã, em um buraco, no matagal do fim da Rua Tico-Tico, Vila Esperança, mais conhecida como “Sapolândia”, em Fazenda Rio Grande.

Tratou-se de uma vingança, planejada pelo garoto de 15 anos. A mãe dele foi violentada e morta brutalmente, no ano passado, por Claudinei e pelo irmão dele, Vander Ribas. Os mesmos garotos assassinaram Vander a tiros, há cerca de quatro meses.

De acordo com o superintendente Gerson, da delegacia do município, a rápida ação da Policiai Civil possibilitou a identificação dos autores. O garoto de 17 anos ainda contou sobre a morte de Vander e confessou uma tentativa de homicídio acontecida há três meses. “Estamos apurando os detalhes de todos estes crimes”, informou o policial.

Vingança

Claudinei e Vander, ambos viciados, invadiram a casa de uma traficante de drogas, moradora em Fazenda Rio Grande, (mãe do adolescente de 15 anos) e a assassinaram com brutal violência. Antes, porém, Claudinei a estuprou e ainda introduziu pedaços de cabo de vassoura na genitália da vítima.

O filho prometeu se vingar e aguardou o tempo suficiente para que os dois irmãos já se sentissem seguros para perambular sozinhos pelas ruas. Ele e os dois amigos mataram Vander, também conhecido por “Vandinho”, a tiros. Depois, planejaram a morte de Claudinei, que deveria ser tão cruel como a que foi imposta à traficante.

Na noite de anteontem, por volta das 19h, Claudinei andava pela vila, provavelmente em busca de drogas. Atraído para o mato, foi espancado até morrer. A polícia procura os outros menores envolvidos no crime.

Alívio

A morte de Claudinei trouxe alívio até para o pai dele, um homem de 74 anos, que tinha que esconder em casa os poucos objetos de valor que possuía, porque o filho os trocava por crack. Ele contou que o rapaz estava separado há menos de um ano da ex-mulher, que também é usuária de drogas e está desaparecida desde a tarde de quarta-feira.