Átila Alberti
Jorge Luís, envolvido no crime.

Apontados como responsáveis pelo disparo que atingiu acidentalmente a cabeça do garotinho Marcelo Augusto de Lima, 6 anos, Max Willian Cit, 19 anos, e Jorge Luís Pino Gomes, foram presos por policiais da delegacia de Pinhais. O menino foi ferido por um bala perdida quando brincava na Rua Rio São Francisco, às 17h30 do dia 28 de agosto.

A criança chegou a ser socorrida e levada ao hospital, mas não resistiu ao ferimento.

O delegado Gerson Machado, titular da DP de Pinhais, informou que após o crime policiais da delegacia iniciaram as investigações e apuraram que os autores do disparo ocupavam o Santana placa JNA-2357, de propriedade de Jorge. "Intimamos o dono para comparecer na delegacia e ele confirmou que estava no local, dentro do carro junto com o Max Willian Cit, que efetuou vários disparos de dentro do Santana", relatou o delegado.

Machado contou que Max também foi convidado a comparecer na delegacia, mas ao ser interrogado negou que foi o autor do disparo que matou o menino. "Ele alegou que disparou para o alto, com um revólver calibre 32, cujo número de série está lixado", salientou o delegado. Machado disse que como os interrogatórios dos acusados eram divergentes solicitou uma acareação. "O Jorge confirmou o que havia dito. Já o Max confessou que usou uma pistola automática e que efetuou oito tiros. Um deles acertou a criança", ressaltou o delegado.

Diante dos fatos solicitou à Justiça a prisão preventiva dos acusados. Ontem, os investigadores Baroto e Redes prenderam Jorge Luís. "O Max foi perseguido pelos policiais, mas conseguiu escapar. Ele já tem passagem por furto", disse o delegado. Ele solicitou às pessoas que tiverem qualquer informação sobre Max, para que entrem em contato com a delegacia: 3667-1598.