Foram expedidos pelo Fórum de Campo Mourão dois mandados de prisão preventiva contra dois auxiliares de carceragem acusados de receber dinheiro para permitir uma festa de Natal dos presos da delegacia local. O evento, animado com muitas bebidas e drogas, foi filmado por câmeras de celular e as imagens foram divulgadas por familiares dos presos nesta semana.

A esposa de um dos detidos mandou as fotografias da festa para o delegado-titular da 16.ª Subdivisão Policial, José Aparecido Jacovós, em 29 de dezembro, por e-mail. “Afastamos os dois funcionários envolvidos e os indiciamos em inquérito por corrupção e prevaricação”, explica. Os presos informaram que pagaram mais de R$ 3 mil para que os auxiliares trouxessem as bebidas e facilitassem a entrada de cocaína, maconha, e o uso dos aparelhos celulares.

Função

De acordo com o presidente do Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol), André Luiz Gutierrez, o Estado abriga presos irregularmente e houve a necessidade de criar a função dos auxiliares de carceragem. “São contratados através do Plano de Seleção Simplificado, com vínculos temporários”.

Ele acredita que muitos dos presos detidos em delegacias já poderiam estar em presídios ou centros de detenção provisórios. “Ali só poderiam estar presos temporários durante o processo da investigação”.